quinta-feira, 28 de julho de 2016

Definição de coligações proporcionais desmotiva aliados do prefeito Luciano Leitoa

Terminou nesta quarta-feira (27), o "fechamento" das coligações proporcionais dos partidos que compõe a base do pré-candidato a prefeito Luciano Leitoa (PSB). Ficaram definidas quatro coligações, são elas: 1° - PMB, PRTB, PPS, PSDB, PEN; 2° - PSB, PC do B, DEM, PTB; 3° - PDT, PRP, PMN, PPL e a 4° - PSDC, SD, PT*, PTC. Mesmo tendo o destino nas coligações dos Leitoas, o PT de Timon ainda é uma incógnita, pois tudo indica que seu futuro político será decidido pela Direção Nacional da sigla.

Segundo uma fonte do Blog do Eduardo Rego, o prefeito e pré-candidato a reeleição, Luciano Leitoa participou do longo debate como mero espectador, fragilizado politicamente ele não teve força para impor sobre os presidentes de partido como ficaria as coligações proporcionais a sua preferência. Luciano Leitoa teria adotado essa postura para evitar mais desentendimentos e também a possível perda de aliados, já que alguns deles chegaram a fazer contato com as principais lideranças de oposição visando deixar o grupo Leitoa, o que ainda não está descartado.

Outro fato, para evitar perda de aliados políticos o prefeito Luciano Leitoa teve também que ceder as vontades e desejos dos vereadores e presidentes de partido e assim manter sua base sem prejuízo.

A leitura das coligações proporcionais formadas pelo pré-candidato Luciano Leitoa foi que alguns dos chamados "puro sangue" não vão conseguir êxito nas eleições, e os chamados "pequenos" vão ser mesmo cabos eleitorais para os grandes na coligação, ou numa linguagem mais popular esses não irão passar de meros cabos eleitorais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário