Anuncie aqui

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Fragilizado por derrotas, Flávio Dino começa a assediar prefeitos eleitos, de olho em 2018

Daniel Matos - Preocupado com seu destino em 2018, quando tentará a reeleição em meio a um cenário político não tão favorável, por causa das derrotas que sofreu nas eleições municipais em cidades importantes, como Imperatriz, Caxias e Pinheiro, o governador Flávio Dino (PCdoB) já começou a agir. No dia seguinte ao pleito, o comunista deu início a um plano para evitar a perda do poder, calcado no assédio a prefeitos eleitos e reeleitos, a fim´de atraí-los para o seu palanque.

Em programa de rádio produzido pela Secretaria de Estado de Comunicação Social e Articulação Política (Secap), retransmitido hoje por dezenas de emissoras Maranhão afora, Dino propôs parceria com todos os vencedores. “Quero cumprimentar todos os eleitos, indistintamente, independente de partido, de grupo político. Todos os 217 prefeitos e prefeitas estão convidados a trabalhar em parceria com o nosso governo”.

O comunista anunciou, “em primeira mão”, que chamará os prefeitos para uma conversa no dia 10 de novembro, para que eles possam conhecer os projetos do governo e se integrar. O convite soa como uma clara tentativa de arregimentar novos apoios ao seu projeto de renovar o mandato e, de quebra, impedir defecções, o que dificultaria ainda mais a sua pretensão continuísta.

O governador fez questão de informar que o encontro, marcado estrategicamente para depois do segundo turno em São Luís, quando a lista dos 217 prefeitos eleitos e reeleitos estará completa, é aberto a qualquer gestor municipal interessado em conhecer os projetos da sua administração.

Sem conseguir esconder seu plano eleitoreiro, Flávio Dino garante que todos terão a oportunidade de firmar parceria com o Estado, independente da bandeira político-partidária que estejam empunhando.

Resta saber quantos prefeitos responderão positivamente ao aceno comunista.

Um comentário: