Anuncie aqui

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Timon: Vereadores de oposição denunciam manobras na eleição da mesa diretora da Casa

Dos sete vereadores eleitos pelos partidos de oposição em Timon, seis participaram na manhã desta quinta-feira, 29, de uma coletiva de imprensa onde denunciaram que os vereadores da situação realizaram uma manobra política com o objetivo de excluir os vereadores de oposição da eleição da presidência e das posições da mesa diretora daquela Casa. 

A vereadora Socorro Waquim (PMDB), líder da oposição, afirmou em um mandato eletivo não há espaço para uma postura individual, pois um mandato se constrói de forma coletiva. “Nós sempre buscamos o diálogo, mas em conversa com o presidente atual da Câmara, para a nossa surpresa ele nos informou que eles já estavam com uma chapa fechada e que não caberia mais espaços para a oposição. Porém, à luz do regimento interno garante que é assegurada a representação proporcional dos partidos que formam a Casa. Dessa forma estamos tomando essa posição coletiva para defender o trabalho dos vereadores da oposição”. 

Os vereadores eleitos Antunes da Drogaria Macedo (PSD), Francisco Tôrres (PMDB), Socorro Waquim (PMDB), Anderson Pego (PRB), Ramon Júnior (PP) e Adão (PR) afirmaram durante a coletiva que lutam por um parlamento livre e democrático, e criticaram a manobra feita pelos vereadores da situação que deixou de fora da escolha da presidência e da mesa diretora da Casa um terço dos representantes timonense no parlamento municipal, numa tentativa de isolar as vozes contrárias à atual gestão.


Anderson Pego, eleito pelo PRB, disse que o único intuito da oposição no parlamento é trabalhar, “no entanto estamos sendo impedidos de exercer nossas funções pelos nossos pares, pois eles estão criando dificuldades para que o nosso parlamento seja livre”. O vereador afirmou ainda que a oposição está aberta ao diálogo, mas que não vai se submeter a nenhuma imposição de quem quer que seja. “Estamos lutando para que Timon tenha um legislativo independente e harmonioso, e nenhum dos vereadores que estão aqui hoje pensam de forma diferente”, destacou.

Para Antunes Macedo, eleito pelo PSD, o legislativo tem a missão de ser independente do executivo e que se comprometa com o bem da população. “Estes seis vereadores, que até ontem eram sete, vão fazer a diferença em Timon. Nós representamos toda a população de Timon e não apenas àquelas pessoas que nos honraram com os seus votos. Queremos somente o melhor para Timon e estamos aqui para dar apoio à este grupo e vamos fazer tudo aquilo o que esperam de uma oposição”, afirmou.

Ausência do PTN na coletiva gerou críticas

A oposição timonense elegeu um terço da Câmara Municipal, sete vereadores, mas na coletiva realizada agora a pouco na Casa Amarela haviam apenas seis deles. A ausência de Henrique Júnior (PTN) gerou críticas de diversos populares que se encontravam na coletiva e deu margem para diversas especulações de que o mesmo tenha migrado para o grupo de vereadores que apoiam a gestão do prefeito Luciano Leitoa, já que no banner estendido na Casa Amarela o único partido que não consta é justamente o PTN.

Um comentário: