Anuncie aqui

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Socorro Waquim diz que tirar autonomia da UEMA em Timon é um retrocesso

Socorro conclama a todos para protestar contra o fechamento da UEMA em Timon e na região dos Cocais
Blog do Ribinha - A Professora Socorro Waquim  – uma das maiores autoridades defensoras em busca de avanços para a Educação de Timon -, juntou-se às milhares de pessoas, entre elas professores, servidores e alunos dos Centros de Estudos Superiores de Caxias, Codó, Coelho Neto, Coroatá e Timon para firmar compromisso contrário à proposta de desmonte do ensino superior público gratuito em prejuízo às milhares pessoas que precisam de uma formação superior financiada pelo governo estadual. A proposta do fim do ensino superior é defendida pelo governador Flávio Dino sob o pretexto de “regionalização” da UEMA criando a Universidade do Leste do Maranhão.

Em discurso na última quarta-feira em sessão plenária da Câmara Municipal de Timon, a vereadora conclamou o prefeito da cidade de Timon Luciano Leitoa - aliado de Flávio Dino -, e todos que defendem a permanência do Cesti Timon com autonomia e recursos financeiros para encapar essa luta de todos.

De acordo com a vereadora, “tirar autonomia desses centros de estudos superiores e deixar essas universidades virada a pó é um retrocesso muito grande. Como pode uma conquista de 10 anos, com 612 alunos em Administração, Pedagogia, Letras, Segurança do Trabalho, Gestão, Cursos de Pós-Graduação e a nossa UEMA perder sua autonomia. Alegando que vai se criar a “Universidade do Leste Maranhense”, relatou a vereadora.

De acordo com Socorro se isso vier a acontecer estamos revivendo os velhos discursos proferidos nesta Casa: “Timon não existe realmente, o Maranhão é de Caxias pra frente. Quando a gente pensa que vai somar, avançar, crescer, ampliar e melhorar, Timon volta ao retrocesso.

A reunião que definiria o fim dos Centros de Estudos Superiores, ocorreria ontem (25), em Caxias à portas fechadas, segundo a vereadora, a Uema, o Cesti de Timon sequer havia sido convidada para participar, mas após manifesto das milhares de pessoas envolvidas no processo tomou nova proporção e seria realizada em novo aspecto com a participação mais ampla.

A vereadora convocou a todos para protestar contra essa “atitude e retrocesso” por parte do governador do Estado. Socorro convocou o prefeito Luciano Leitoa, afirmando que da forma como foi prefeita da cidade e assumiu a defesa da vinda da UEMA em Timon, ela conclamou a união de todos para que a UEMA, que já formou mais de 1 mil e 500 alunos e profissionais para mercado de trabalho não feche as postas na cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário