Anuncie aqui

sexta-feira, 30 de junho de 2017

"Sempre acreditei na Justiça do meu País", diz Aécio Neves após retomar mandato no Senado

  "Seguirei no exercício do mandato que me foi conferido", diz Aécio em nota
Senador pode participar das votações da Casa a partir da próxima semana
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse que recebe "com absoluta serenidade" a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), de restabelecer o seu mandato parlamentar. Em nota, Aécio afirmou que aceitou a decisão anterior do ministro Edson Fachin que autorizou o seu afastamento da mesma forma "resignada e respeitosa".

"Sempre acreditei na Justiça do meu País e seguirei no exercício do mandato que me foi conferido por mais de 7 milhões de mineiros, com a seriedade e a determinação que jamais me faltaram em 32 anos de vida pública", declarou. 

Denunciado por corrupção passiva e obstrução de Justiça, Aécio foi afastado do mandato em 18 de maio. Com a decisão de Marco Aurélio, ele poderá participar das votações da Casa a partir da próxima semana. 

O PSDB se pronunciou por meio do presidente interino Tasso Jeressati. Leia a nota na íntegra: 

"O PSDB considera a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello - de restituir o mandato parlamentar ao senador Aécio Neves - justa e equilibrada, respeitosa à Constituição e coerente com a separação e a independência entre os Poderes.

As restrições antes determinadas ao senador por Minas Gerais não tinham guarida no texto constitucional.  Por conseguinte, o ministro Marco Aurélio segue o que determina nossa Lei maior. 

O senador Aécio Neves tem 32 anos de mandatos consecutivos e foi eleito para o Senado Federal por 7,5 milhões de mineiros, votos que precisam ser respeitados. Temos confiança de que, ao longo de sua defesa, o senador demonstrará sua inocência e que, ao final do processo, poderá  provar perante à sociedade e à Justiça a absoluta correção de seus atos.

Seu retorno ao Senado Federal fortalece nossa bancada e a defesa da agenda de reforma necessária ao país",  senador Tasso Jeressati, presidente interino do PSDB."

(Correio Braziliense)

Nenhum comentário:

Postar um comentário