sábado, 8 de julho de 2017

Eleições 2018: Tempo na propaganda eleitoral pode ser decisivo

Tempo na propaganda eleitoral pode ser decisivo para 2018
Jorge Aragão - Mais uma vez o tempo na propaganda eleitoral pode fazer a diferença nas eleições, pelo menos é essa a expectativa dos analistas políticos para 2018. Foi justamente esse tempo que fez uma diferença enorme em prol do prefeito Edivaldo Júnior (PDT) nas eleições do ano passado, quando Edivaldo conseguiu, mostrando suas ações e respondendo aos anseios dos eleitores, reverter uma situação amplamente desfavorável, incluindo uma rejeição altíssima.

Sabendo disso, os pré-candidatos para o Governo do Maranhão já começam a trabalhar nos bastidores para atrair um maior número de partidos em suas coligações, consequentemente, um tempo maior na propaganda eleitoral gratuita.

Neste sábado (08), o jornal O Estado do Maranhão lembrou que, até agora, o governador Flávio Dino (PCdoB), que concorre à reeleição está em desvantagem em relação a pelo menos dois dos seus principais adversários, a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) e o senador Roberto Rocha (PSB). O partido de Dino tem tempo insignificante na propaganda, o que o força a negociar em outras bases o apoio de grandes legendas.

Só que com a “máquina na mão” e disposto a fatiar ainda mais o Governo do Estado, o comunista tende a reunir ao menos 10 legendas em seu palanque – PCdoB, PDT, PT, PTB, DEM, PR, PEN, PRB, PSC e PTC.

Apesar disso, vale lembrar que a atual Lei Eleitoral estabelece que apenas os seis partidos com maior tempo entram na soma. Isso faz com que, curiosamente, Dino dispute por uma legenda que sequer contribui com o tempo da coligação. Somados PT, PR, PTB, DEM, PRB e PDT, nessa ordem, o tempo do comunista chegaria a 2 minutos e 52 segundos na propaganda.

Para Dino ampliar esse tempo seria fundamental evitar a saída do PSDB, segundo maior tempo entre todos os partidos, mas os tucanos dificilmente irão renovar essa aliança, principalmente pela questão das eleições nacionais.

Ao contrário do comunista, a ex-governadora Roseana Sarney, se entrar na disputa, larga com o segundo maior tempo individual, já que o seu PMDB tem 52,3 segundos. Somado ao PSD (29,4s) e PV (4s), partidos que tendem a apoiar o PMDB, esse tempo vai para 85,7 segundos, ou 1 minuto e 42 segundos.

Além disso, vale lembrar que Roseana, caso seja mesma candidata, trabalhará para também ter o apoio do PSDB.

Outro que briga pelo apoio do PSDB é Roberto Rocha. O senador já possui através do seu partido 27,8 segundos e se tiver o apoio dos tucanos irá garantir praticamente a metade de todo o tempo que Dino só consegue ter uma coleção de legendas.

Se Flávio Dino, Roseana Sarney e Roberto Rocha já trabalham com bom tempo de propaganda em 2018, os dois outros nomes já postos à disputa – a ex-deputada Maura Jorge (Podemos) e o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) – vão ter que batalhar muito para garantir espaço no horário eleitoral.

Mas como ainda temos aproximadamente um ano para o fechamento das coligações, muita coisa ainda pode acontecer, inclusive nada.

É aguardar e conferir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário