Anuncie aqui

Anuncie aqui

Anuncie Aqui-2

Postagem Carrossel

quinta-feira, 18 de julho de 2024 às 15:31

Polícia Civil realiza operação e apreende, arma, munições e entorpecentes em Timon

A Polícia Civil do Maranhão (PC-MA), desencadeou na tarde desta quinta-feira (18), uma operação policial de combate ao tráfico de drogas no bairro Parque Aliança, em Timon, cidade à cerca de 426 km de São Luís. Durante a ação da polícia, três pessoas foram conduzidas para delegacia.

Segundo informações da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico de Timon (DENARC), após o recebimento de denúncias anônimas sobre diversas práticas de crimes de tráfico de drogas em um imóvel do bairro, uma equipe de policiais civis se descolou até as proximidade para verificar.

Após confirmarem a veracidade das informações anônimas, os policiais adentraram no imóvel e conseguiram apreender entorpecentes dos tipos “crack” e “maconha”, bem como apetrechos utilizados no tráfico, como embalagens plásticas e balança de precisão. Além dos entorpecentes, a equipe também conseguiu apreender um revólver calibre .38 e 07 munições do mesmo calibre.

Diante disso, os policiais conduziram três pessoas até a Central de Flagrantes de Timon, sendo dois menores de idade, e os apresentaram à autoridade policial plantonista. As informações são da Ascom PCMA.

Eleições 2024: mais uma pesquisa é registrada em Timon

Já consta no site da Justiça Eleitoral mais uma pesquisa de intenções de votos para a eleição de 2024 na cidade de Timon. 

A coleta dos dados feita pelo Instituto Estimativa tem início nesta quinta-feira, 18 e se encerra nesta sexta-feira, 19. A divulgação do resultado deve acontecer no próximo dia 24 deste mês.

O contratante da pesquisa é a RENATO SOUSA DE MONTANHA LTDA / 4 AS SOLUCOES EMPRESARIAIS CPF/CNPJ: 26962915000171.

De acordo com as informações obtidas, a pesquisa entrevistará 412 pessoas com grau de confiança de 95% com margem de erro de 4,8% para mais ou para menos. O número de registro é MA-00651/2024.

É aguardar e conferir!

quarta-feira, 17 de julho de 2024 às 17:35

TCE emite alerta sobre limite de gastos com pessoal em ano de eleições

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA) emitiu, nesta terça-feira (16), por meio da Secretaria de Fiscalização – Sefis, o Alerta nº 03/24, relativo ao acompanhamento da gestão fiscal no que se refere ao limite de gastos com pessoal. O alerta alcança 47 prefeituras e dois órgãos estaduais, tendo como referência o primeiro quadrimestre deste ano.

A emissão de alertas tem como fundamento a competência atribuída ao TCE para alertar os poderes ou órgãos sempre que identificadas situações desfavoráveis e/ou irregulares relacionadas à gestão fiscal e ainda, com base nas análises efetuadas sobre os dados relativos aos Relatórios de Gestão Fiscal do 3º quadrimestre e do 2º semestre, declarados ao sistema Finger/Siconfi e observado o disposto em instrução normativa do órgão.

Os alertas também se fundamentam em informações e documentos remetidos por meio do Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi). O objetivo é levar o fiscalizado a adotar as medidas determinadas na legislação para correção das distorções, evitando a aplicação das sanções administrativas e/ou penais previstas.

O Alerta nº 03/24 vincula-se ao processo de acompanhamento da gestão Fiscal, processo de fiscalização nº 2349/2024.

Para a Secretaria de Fiscalização do TCE Fábio Alex de Melo, os índices são preocupantes em razão do período, uma vez que, para a Justiça Eleitoral, o descumprimento dos limites pode ser entendido como captação de sufrágio, corroendo o processo eleitoral, ou como recusa em reduzir os gastos em ano de eleições.

O secretário observa ainda que a situação é mais comprometedora para os municípios, em função do calendário eleitoral, uma vez que as reduções precisam ser feitas no ano em curso, não podendo ser postergadas para os quadrimestres seguintes. “É essencial que eles promovam o quanto antes sua adequação aos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)”, destaca. As informações são do TCE/MA.

Gaeco deflagra operação Rei do Gado para combater venda fraudulenta e sonegação fiscal

Na manhã desta quarta-feira, 17, o Ministério Público do Maranhão, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), deflagrou a operação Rei do Gado no estado do Maranhão, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa investigada por venda fraudulenta de gado e sonegação fiscal. A ação também foi realizada nos estados de Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Tocantins e no Distrito Federal. As práticas ilegais movimentaram aproximadamente R$ 1,4 bilhão.

A operação Rei do Gado está sendo cumprida pelo Gaeco do MPMA com a participação do Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal (GAESF), Coordenadoria de Assuntos Estratégicos e Inteligência (Caei), e Gaecos de Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Tocantins e Distrito Federal. Também participam a Receita Federal, a Secretaria de Fazenda do Maranhão, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), Polícia Rodoviária Federal (PRF), as Delegacias de Combate à Corrupção do Maranhão e Distrito Federal, além das polícias Militar de Minas Gerais e de São Paulo.

Os investigados são servidores públicos, além de pessoas físicas e jurídicas, que, direta ou indiretamente, estão envolvidos nos crimes. A decisão expedida pela Vara Especial Colegiada dos Crimes Organizados de São Luís também determinou a suspensão do exercício das funções públicas de servidores, a suspensão das atividades das pessoas jurídicas envolvidas, bem como bloqueio de contas e apreensão de bens de luxo para ressarcir os cofres públicos.

Conduzidas pelo Gaeco e pela 3ª Promotoria de Justiça Regional de Defesa das Ordens Tributária e Econômica do Estado do Maranhão, as investigações revelaram a inserção de dados falsos sobre quantitativo de gado, idade e vacinas dos animais nos sistemas de controle, para simular a regular criação por pecuaristas cujas propriedades rurais sequer existem ou não comportam o número de animais registrados. O grupo criminoso também emitiu notas fiscais de venda de quase 500 mil bovinos e Guias de Trânsito Animal com informações falsas de compra e venda de gado. As informações são do MPMA.

terça-feira, 16 de julho de 2024 às 20:01

Convenção que vai oficializar a candidatura de Nonatinho e Christiane Pinheiro já tem data

A Convenção partidária que vai oficializar a candidatura de Nonatinho e Christiane Pinheiro para as eleições de 2024 à prefeitura de Matões será realizada na sexta-feira da próxima semana, dia 26 de julho.

O local escolhido para este evento que vai sacramentar o nome de Nonatinho como o candidato a prefeito de Matões é a residência do prefeito Ferdinando Coutinho, localizada na rua Bacuri, no bairro Bacuri.

O grupo do prefeito Ferdinando Coutinho prepara um grande evento para mostrar a força, a união e o crescimento que a pré-candidatura de Nonatinho e de Christiane Pinheiro tiveram nas últimas semanas com inúmeras adesões por toda Matões, tanto na zona urbana quanto na zona rural do município.

PF reprime ações ilegais em terras indígenas no Maranhão

São cumpridos mandados de prisão preventiva contra exploradores de extração e comercialização ilegal de madeira

A Polícia Federal, nesta terça-feira (16/7), a operação Conluio Exploratório, com o objetivo de dar cumprimento a mandados de prisão preventiva, expedidos pelo Juízo da 8ª Vara Federal Ambiental e Agrária da Justiça Federal, contra responsáveis pela extração e comercialização ilegal de madeiras oriundas de terras indígenas inseridas na Amazônica Legal do Maranhão.

A operação é a segunda fase da operação Kreepym-Katejê, a qual identificou um conluio entre indígenas, madeireiros, fazendeiros e políticos locais na extração ilegal e comercialização da madeira, com a conivência por parte de alguns indígenas, ao permitir a extração de madeira, em troca de vantagem econômica indevida.

A terra indígena Geralda Toco Preta fica localizada entre os municípios de Arame e Itaipava do Grajaú/MA e, segundo estudos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), é a segunda Terra Indígena que sofre maior pressão de desmatamento. As informações são da PF.

Pesquisa aponta liderança do deputado Rafael em Timon

O IPPI Pesquisa e Consultoria Ltda. realizou uma pesquisa de intenções de voto em Timon entre os dias 3 e 6 deste mês, avaliando o cenário político e de gestão.

Na pergunta espontânea, o cenário com os pré-candidatos de Timon apareceu assim: deputado Rafael 23,46%; Dinair Veloso 17,80%; Henrique Júnior 7,49%; Não sabe/Não opina 49,25%; Schnaider 0,83%; Branco/Nulo 0,83%; Schneider 0,17% e Luciano 0,17%.

Já na pergunta estimulada da pesquisa, onde são citados os nomes dos pré-candidatos a prefeito de Timon, os resultados foram: deputado Rafael 38,44%; Dinair Veloso 28,79%; Henrique Júnior 17,47%; Não sabe/Não opina 8,65%; Nenhum/Ninguém 5,99%; Branco/Nulo 0,67%.

Na pergunta sobre a rejeição (não votaria) dos pré-candidatos a prefeito de Timon, os resultados foram: Dinair Veloso 33,61%; Nenhum/Ninguém 30,45%; Henrique Júnior 16,31%; deputado Rafael 11,65%; Não sabe/Não opina 5,16%; Branco/Nulo 2,83%.

Gestão Dinair

Sobre a avaliação da gestão da prefeita Dinair Veloso, a pesquisa do IPPI mostrou que o eleitorado de Timon opinou da seguinte forma: Reprova 52,41%; Aprova 39,43%; Não sabe/Não opina 8,15%.

Dados

A pesquisa do IPPI foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número MA-03117/2024 e ouviu 600 eleitores de Timon, tanto na zona urbana quanto na zona rural, entre os dias 3 e 6 deste mês. A margem de erro é de 4,62% para mais ou para menos e a margem de confiança é de 95%.

Veja mais detalhes da pesquisa feita em Timon pelo IPPI no canal do Ielcast.

(Do Blog do Ludwig)

segunda-feira, 15 de julho de 2024 às 19:23

MPF obtém condenação de dois fiscais do Ibama por cobrança de propinas no Maranhão

Técnicos ambientais usavam o cargo na autarquia para cobrar valores para liberação de cargas de madeira apreendidas

O Ministério Público Federal (MPF) obteve a condenação de dois fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no Maranhão por atos de improbidade administrativa. Na ação civil proposta pelo MPF na Justiça Federal, ambos foram acusados de cobrar vantagens indevidas de pelo menos R$ 11 mil de particulares para liberar irregularmente cargas de madeira apreendidas.

As investigações mostraram que os fiscais se utilizavam de veículo oficial da autarquia para se deslocar por cidades no interior do Maranhão realizando rondas de rotina. Interceptações telefônicas e gravações de áudio autorizadas pela Justiça captaram os condenados exigindo dinheiro para liberação de cargas irregulares. Os fiscais ameaçavam os particulares afirmando que o prejuízo deles seria maior caso não pagassem as propinas solicitadas.

Os dois agentes foram condenados na ação civil à perda das funções públicas, suspensão dos direitos políticos por quatro anos, proibição de contratar com o Poder Público, além de perda dos valores acrescidos irregularmente ao patrimônio (R$ 11 mil, a ser dividido entre os dois condenados), e multa no mesmo valor. Ainda cabe recurso. Ambos os condenados já haviam sido demitidos de suas funções ao final de um processo administrativo disciplinar conduzido pelo próprio Ibama. As informações são do MPF/MA.