Anuncie aqui

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Vereador Anderson Pêgo denuncia que criança espera cinco anos para a realização de cirurgia, em Timon

Para Anderson Pêgo, o descaso além do setor de saúde, atinge também a falta de abastecimento de água pelo SAAE na zona rural de Timon
O vereador Anderson Pêgo (PSDB) ocupou a tribuna na sessão ordinária da Câmara Municipal de Timon na manhã desta segunda-feira (29) para cobrar medidas urgentes tanto em relação a melhoria dos serviços na área da saúde pública como a autonomia financeira do Serviço Autônomo de Água e Esgoto - SAAE, que cobre a zona rural do município, na questão do abastecimento de água e que apresenta sérios problemas com a falta de manutenção das bombas. Com isso, a população fica sem água até para o consumo humano. Em alguns casos, os vereadores representantes das comunidades afetadas tem que tirar dinheiro próprio para comprar os equipamentos danificados.   

No tocante ao descaso com a saúde pública, o vereador Anderson Pêgo lamentou o fato de uma criança moradora da Vila João Reis que espera há cinco anos a realização de uma cirurgia delicada de adenoide sem nenhuma solução. A falta desse atendimento vem agravando o estado de saúde da criança que continua respirando com dificuldades. 

Anderson Pêgo em tom duro olhando nos olhos dos colegas vereadores da base governista municipal foi logo dizendo: "se essa criança fosse parente de vocês, certamente o caso já tinha sido resolvido. Agora, ela não tem parentes políticos influentes. Daí, a prova do descaso mesmo em situação séria e urgente",  protestou o parlamentar oposicionista.

Mais adiante, Anderson Pêgo citou o Projeto de Lei do Orçamento - 2019, que tramita naquele Poder, pois deveria destinar mais recursos visando melhorar os investimentos nas Unidades Básicas de Saúde - UBS. Ele revelou que um médico recebe mensalmente R$ 3.500,00, um valor considerado baixo. Isso desestimula qualquer médico. Diante disso, o medico trabalha um ou dois dias por semana. Os outros profissionais de saúde entre enfermeiros e técnicos de enfermagem também não estão sendo valorizados com salários dignos.

"Enquanto isso, um eletricista contratado para prestar serviços a Prefeitura de Timon, através da empresa terceirizada Mega On Ltda, recebe mais do que um medico algo em torno de R$ 3.800, 00", disse o vereador Anderson Pêgo, comparando a falta de compromisso com a qualidade dos serviços no setor de saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário