Anuncie aqui

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Henrique Júnior defende concurso da educação mas ressalta que ele deveria ter sido realizado anos atrás

O vereador Henrique Júnior (PMN), líder da oposição na Câmara Municipal de Timon, usou a tribuna na sessão desta quarta-feira, 16, para lembrar sua luta pela realização de concurso público para a Educação do município, que acabou de ser anunciado pelo prefeito Luciano Leitoa. Porém o parlamentar destaca que este concurso deveria ter sido realizado há muito tempo, evitando que o Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos Municipais de Timon (IPMT), chegasse “à beira do colapso”.

“Eu volto a dizer, é uma luta grande e incansável que eu venho defendendo aqui nesta Casa desde 2017, cobrando concurso público, pela sua importância, pela forma justa de ingressar no serviço público. E quando se faz concurso púbico, se organiza e se equilibra a administração. Os professores que hoje são concursados da prefeitura de Timon, contribuem com o regime próprio do IPMT. E o IPMT de Timon está à beira do colapso, pois arrecada R$ 1,2 milhão e está pagando uma folha de R$ 1,9 milhão. Essa diferença está sendo coberta pelo fundo previdenciário e isso deixa uma instituição na beira do colapso, mas não é por falta de aviso, porque eu venho falando isso desde o início. Se o prefeito Luciano Leitoa tivesse tomado essa medida, de fazer o concurso público no início do seu governo, teria sido tudo diferente”.

O parlamentar explicou que ao longo dos anos, por fazer contratações de professores somente por meio de processos seletivos, a prefeitura de Timon, o prefeito Luciano Leitoa, desequilibrou a saúde financeira do IPMT, pois os professores celetistas não contribuem com o IPMT, mas com o INSS. “Os celetistas não contribuem com o regime próprio do município, eles contribuem com o INSS. Hoje o prefeito Luciano Leitoa faz este concurso buscando exatamente equilibrar as contas do IPMT, ele não quer agradar os professores, ele não quer agradar aqueles que vão fazer o concurso. Pra ele foi cômodo poder fazer seletivo durante esse tempo todo. Seletivo sempre feito cheio de vícios”.

Henrique Júnior também defendeu que as provas do concurso, que será realizado pela Comissão de Concursos da Universidade Federal do Piauí, sejam aplicadas nas escolas do município de Timon. “O governo aqui sempre fala muito bem das escolas, que tem ar condicionado, que tem estrutura, mas na hora de fazer o concurso leva todos esses possíveis candidatos para fazer a prova lá em Teresina. Vocês já imaginaram 10, 15 mil pessoas espalhadas nas escolas de Timon, quanto não iria movimentar a economia, quantos ambulantes não iriam vender, quantas corridas os mototaxistas não iriam fazer nesse dia, quantos restaurantes não iriam vender mais almoço e isso é gerar economia”, ressaltou.

Além disso, o vereador destacou ainda que fica feliz pela realização do concurso, apesar de o prefeito Luciano Leitoa ter aguardado o último ano de seu segundo mandato para a sua realização. “Eu fico feliz de ter desde o início lutado por este concurso público, que agora foi atendido pelo prefeito, mas volto a dizer, o prefeito não quer aqui agradar aos que vão fazer este concurso público, o prefeito quer salvar o IPMT. E de certa forma até inteligente, só que muito atrasado, porque já poderia ter feito isso lá atrás, não era para deixar o IPMT chegar a ficar nessa situação em que se encontra atualmente”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário