Anuncie aqui

domingo, 30 de setembro de 2018 às 10:43

MDB deve manter poder no Senado com Norte e Nordeste

Legenda disputa com o PSDB qual deve fazer a maior bancada na Casa; Jader, Renan, Lobão, Braga e Requião lideram pesquisas
O resultado das urnas nas eleições 2018 não deve mudar a principal configuração do Senado em 2019. Se as pesquisas de intenção de voto se confirmarem no dia 7, a maior bancada, outra vez, ficará com o MDB, partido que comanda a Casa há 17 anos.

Levantamento feito pelo Estado mostra que a sigla tem chances de manter os atuais 18 senadores ou até somar um parlamentar ao grupo.

A possibilidade de ampliar uma bancada atingida em cheio pela Lava Jato - sete senadores são investigados pela operação ou desdobramentos dela -, será um feito para um partido que tem o presidente mais impopular da história. A vitória, caso obtida, virá das Regiões Norte e Nordeste, onde a legenda pode fazer 12 dos 14 candidatos com chance de serem eleitos. Em 2014, a sigla elegeu cinco, que permanecem por mais quatro anos.

Entre os parlamentares que puxam essa perspectiva positiva para o MDB estão alguns de seus principais caciques, como Eunício Oliveira (CE), atual presidente da Casa; Renan Calheiros (AL), Jader Barbalho (PA); Edison Lobão e Eduardo Braga (AM), além de Romero Jucá (RO). Algumas trocas, no entanto, podem ocorrer, mas sem prejuízo ao partido. Em São Paulo, por exemplo, Marta Suplicy abriu mão de concorrer à reeleição e não deixou ninguém com chances em seu lugar. Em compensação, Pernambuco deve eleger Jarbas Vasconcelos, que já governou o Estado e hoje tem 31% na pesquisa de voto.

Rondônia também deve ter um senador emedebista, Confúcio Moura, que deixou o governo para disputar o cargo, assim como o Rio Grande do Sul, onde José Fogaça é um dos líderes. As pesquisas mostram que, dos 14 candidatos do MDB, oito seriam eleitos facilmente. Os demais enfrentam disputas acirradas.

Para o cientista político Marco Antonio Teixeira, da FGV-SP, os dados não surpreendem. "Segue a lógica do MDB, que não faz o presidente da República, mas é protagonista no governo. O poder do partido vem da capacidade de eleger um número significativo de deputados e senadores, o que o torna indispensável à governabilidade. O MDB tem sido aderente a todos os governos desde Fernando Collor. Michel Temer foi um acidente".

Para o senador Roberto Requião, que lidera as pesquisas no Paraná, "essa projeção (de manter a bancada) só mostra que o MDB é um partido regionalizado, sem conexão direta com o governo Temer". Para o emedebista, os eleitores não ligam "as loucuras econômicas do governo e a eleição". "Por isso estamos com essa chance agora".

PSDB e PT. Dono da segunda maior bancada hoje do Senado (12 senadores), o PSDB também tem boas chances de manter a posição em 2019 ou superá-la. O partido tem quase assegurada três cadeiras (Alagoas, Paraíba e Espírito Santo) e segue com chances de fazer outras dez. Há quatro anos, a sigla elegeu quatro.

São Paulo faz parte dessa lista com dois candidatos do partido na disputa: Mara Gabrilli e Ricardo Tripoli, empatados, na margem de erro, em segundo lugar com mais dois postulantes. Segundo Tripoli, um bom resultado no Senado reforçará o partido. "E, mesmo que não façamos a maior bancada, podemos obter maioria na Casa em busca da presidência, que não é automaticamente do MDB."

O PT segue com chances de obter ao menos seis vagas. Em 2014, o partido fez duas - sua bancada atual é de nove. Entre os favoritos está Eduardo Suplicy (SP). Para ele, parte desse resultado se deve às coligações do partido. "Na eleição nacional, o PT se coligou só com PCdoB e PROS. É um caminho mais prudente para não termos depois os comprometimentos tais como os que aconteceram em 2014."

(Fonte: Estadão Conteúdo)

sábado, 29 de setembro de 2018 às 16:15

Timon: Rodeio Churrascaria apresenta Solange Leal neste sábado (29)

Neste sábado (29/09), a partir das 20h30, Rodeio Churrascaria apresenta Solange Leal, que faz o diferencial no mundo artístico da região. Por isso, você não é louco de perder!  E tem mais: depois das 18h, open house.

Então, faça parte do nosso show de musicas ao vivo. Agradece Rodeio Churrascaria, na Avenida Piauí, em Timon (MA).

É hoje!

Descolados dos presidenciáveis, MDB e PSDB lideram disputa nos estados

Os partidos têm 8 candidatos a governador que despontam nas pesquisas
As eleições deste ano têm demonstrado um descolamento das disputas para presidente da República e para governador dos estados e do Distrito Federal. Enquanto Jair Bolsonaro (PSL), Fernando Haddad (PT) e Ciro Gomes (PDT) despontam nas pesquisas nacionais de intenção de voto, nos estados a preferência recai sobre candidatos do MDB e do PSDB.     

Tanto o MDB como o PSDB têm oito candidatos a governador bem colocados nas pesquisas de intenção de votos do Ibope, feitas neste mês de setembro e registradas na Justiça Eleitoral. Considerando a coligação que apoia o presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB), sobe para 18 o número de postulantes aos governos estaduais que despontam nas sondagens eleitorais.

Os candidatos do PSDB aparecem bem posicionados nas pesquisas em estados importantes, como São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. O MDB também está entre os dois primeiros em São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, com chances de resolver a eleição no primeiro turno em Alagoas e no Pará.

Mesmo com Bolsonaro liderando as pesquisas, somente em Roraima o candidato a governador do PSL está bem colocado nas sondagens de intenção de votos. O partido lançou candidaturas próprias a governador de 14 estados.

Já o PT tem sete candidatos bem posicionados nas pesquisas de intenção de voto, inclusive com a possibilidade de vitória no primeiro turno, no Ceará, na Bahia e no Piauí. Considerando o Pros e o PCdoB, que integram a coligação de Haddad, são mais dois candidatos a governador com chances eleitorais – no Distrito Federal e no Maranhão, respectivamente.

O PSB não lançou candidato a presidente da República, porém, pelas pesquisas de intenção de voto, está bem na corrida eleitoral em seis estados. No Espírito Santo, o PSB pode resolver o pleito no primeiro turno. O PDT tem concorrentes com chances eleitorais em cinco estados, um a mais do que o DEM. As informações são da Agência Brasil.

sexta-feira, 28 de setembro de 2018 às 18:29

Timon: Secretaria de Finanças apresenta resultados do segundo quadrimestre de 2018

Atendendo ao artigo 9º da Lei de Responsabilidade Fiscal, o Poder Executivo apresentou nesta sexta-feira (28.09) o relatório de Audiência Pública referente ao segundo quadrimestre de 2018. A ação foi realizada com objetivo de expor aos parlamentares e aos moradores como os recursos públicos estão sendo administrados.

Segundo o secretário de finanças da cidade, Raimundo Lima, mesmo com a diminuição nos repasses, o município está conseguindo cumprir suas metas. “Timon está indo bem nos índices de Educação e Saúde, por exemplo. A Lei determina que os municípios invistam no mínimo 15% em saúde e conseguimos aplicar 15,9%, ou seja, a Prefeitura está cumprindo a Lei de Responsabilidade Fiscal. Outro ponto importante é que estamos conseguindo liquidar dívidas herdadas pela atual gestão”.

Participaram da audiência os vereadores: Uilma Resende; Celso Tacoane, José Carlos Assunção, Edvar Schalcher, Ivan do Saborear e Jair Mayner.

(Assecom/CMT)

Socorro Waquim realiza grande caminhada e comício neste domingo em Timon

Socorro Waquim encerra sua campanha rumo a Assembleia do Maranhão com grande caminhada e comício neste domingo (30)
Na semana em que teve sua candidatura deferida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contrariando a imprensa ligada ao palácio da cidade e dezenas de barnabés, Socorro Waquim (MDB), que é candidata à deputada estadual encerra sua campanha para tentar retornar a Assembleia do Maranhão com uma grande caminhada e comício neste domingo, 30, em Timon. 

Os atos políticos de encerramento da campanha de Socorro Waquim rumo a Assembleia do Maranhão tem a presença confirmada do candidato a deputado federal Edilazio Júnior (PSD), dos candidatos ao Senado, Edson Lobão (MDB) e Sarney Filho (PV), além várias lideranças políticas de Timon e de todo Maranhão.

A caminhada terá concentração a partir das 16h00 no balão da Rua 100 com avenida 03 e percorrerá vários bairros da cidade, finalizando ao lado do Campo do Jacira no bairro Formosa, local onde acontecerá um grande comício de encerramento.

Assista a baixo ao vídeo em que Socorro Waquim convida a população timonense para o encerramento de sua campanha.

                                                 

quinta-feira, 27 de setembro de 2018 às 20:27

Atenção servidores! Prefeituras recebem R$ 2 bilhões de FPM nesta sexta-feira (28)

Ao positivar o acumulado do mês, último FPM de setembro entra nas contas nesta sexta
Ao positivar o acumulado do mês, a última transferência do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) de setembro será de R$ 2 bilhões, com o desconto do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Com esse porcentual, o valor total a ser partilhado neste terceiro repasse chega a R$ 2,5 bilhões. A cota-parte de cada uma das 5.568 prefeituras entrará nos cofres municipais nesta sexta-feira, dia 28.

Pelos cálculos da Confederação Nacional de Municípios (CNM), com base nos dados da Secretária do Tesouro Nacional (STN), esse repasse será 4,74% maior que o montante transferido no mesmo período de 2017, que somou R$ 2,3 milhões. No entanto, esse crescimento é nominal e não considera os efeitos da inflação. Quando se leva em conta a inflação do período, o valor do decêndio apresenta redução de 6,10%, de acordo com a previsão da Confederação.

Ano passado, as transferências do FPM somaram R$ 5,6 bilhões e, neste ano, o mês de setembro fechou com pouco mais de R$ 5,5 bilhões, o que representa redução de 2,31%, em valores brutos nominais.  Dos três decêndios deste mês, em comparação com o mesmo mês do ano anterior, o primeiro e segundo foram 8,19% e 4,31% menor, respectivamente. Apenas esse terceiro repasse foi maior do que o de 2017.  “Nota-se que o terceiro decêndio fecha em alta, superando dois decêndios de queda. Isso se deve ao valor da arrecadação total das Receitas Federais, que atingiu, em agosto de 2018, o valor de R$ 109 milhões, registrando crescimento real (IPCA) de 1,08%, em relação a agosto de 2017”, explica o levantamento dos Estutos Técnicos da CNM.

Quando se analisa o valor bruto deflacionado, os dados da CNM mostram uma redução ainda maior de um ano para o outro, de 6,10% no valor total. Ainda assim, de início do ano até agora, a soma do FPM tem mostrado um crescimento positivo. Conforme mostra o levantamento, o total repassado aos Municípios – de janeiro até o terceiro decêndio de setembro – apresenta crescimento de 7,09%, em termos nominais; e de 3,54%, considerando a inflação. Dos nove meses deste ano, apenas julho e setembro foram inferiores, em valores transferidos.

O presidente da CNM, Glademir Aroldi, reforça que, apesar de parecer muito dinheiro, quando o Fundo é repartido entre todas as prefeituras, a verba que cada um recebe, muitas vezes, não é suficiente para atender às necessidades. “O FPM é a principal fonte de receita da maioria dos Municípios, mas ele é composto por dois impostos que sofrem impacto da atividade econômica”, explica o líder municipalista sobre o crescimento dos recursos de modo geral, mas, de forma isolada, o mês foi de baixa arrecadação. Aroldi se refere ao Imposto de Renda (IR) e o Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) e ao fenômeno que se chama de sazonalidade do Fundo. Nesse aspecto, o presidente da entidade aconselha que os gestores municipais façam seus planejamentos e analise com cuidado o cenário nacional para efetuar novas despesas. As informações são da Agência CNM Notícias.

Leandro Bello realiza caminhada em Timon neste sábado (29)

O candidato a deputado federal pelo DEM, Leandro Bello, vai realizar uma grande caminhada pelas ruas de Timon, neste sábado (19), a partir das 16h00. Devem estar presentes, além Leandro Bello, várias lideranças políticas de todo Maranhão.

A "Caminhada da Vitória" como foi denominada, terá concentração a partir das 15h00 em frente ao Campo do Jacira no bairro Formosa e percorrerá vários bairros de Timon.

“A população de Timon nos recebeu muito bem por toda cidade nesta campanha, vamos fazer uma caminhada com muita alegria, em contato direto com o povo”, disse Leandro Bello.

quarta-feira, 26 de setembro de 2018 às 10:36

Mudanças na legislação devem diminuir renovação na Câmara, segundo Diap

Para o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) a renovação na Câmara dos Deputados nas eleições de outubro será a menor dos últimos anos por causa das mudanças na legislação de 2015 e 2017
Segundo o analista político Antônio Augusto de Queiroz, diretor de documentação do Diap, a redução do tempo de campanha de 90 para 45 dias e do horário eleitoral de 45 para 35 dias favorecem candidatos já conhecidos e que buscam reeleição. As mudanças foram feitas na minirreforma eleitoral (Lei 13.165/15).

Outro ponto a favor dos atuais deputados é o fundo eleitoral, criado pela reforma eleitoral do ano passado (Lei 13.488/17), e com valor de R$ 1,7 bilhão para financiar candidaturas.

Para Antônio Queiroz, essas mudanças favorecem o poder de barganha dos parlamentares com os partidos. “Essas três condições combinadas com a janela partidária fizeram com que os parlamentares pudessem negociar condições mais vantajosas para sua reeleição”, disse. Com menos tempo para conhecerem novos candidatos, os partidos tendem a apoiar quem já teve sucesso nas urnas.

“Há uma série de vantagens comparativas para quem está no exercício do mandato. Por exemplo, número e nome conhecidos, cabos eleitorais fidelizados e doadores já habituais”, afirmou Queiroz.

Queiroz lembra outras vantagens de quem já exerce um mandato legislativo como ter estrutura de gabinete para trabalhar para voltar à Câmara e a as emendas parlamentares. Essas emendas individuais contemplam demandas que chegam das bases eleitorais dos parlamentares e de grupos organizados que procuram interferir no projeto orçamentário, como um posto de saúde ou uma creche.

Nas últimas quatro eleições, o percentual de renovação na Câmara dos Deputados ficou abaixo de 40%, de acordo com os dados da Secretaria Geral da Mesa. A média de 2002 até 2014 foi de 37,5%. As eleições com o menor índice de renovação foram as de 2002, com 36% e as com maior número de novos rostos foi a última, com 39% de renovação.

Os cálculos da secretaria geral consideram reeleitos todos aqueles que assumiram mandato ao longo da legislatura seja como efetivo ou suplente. Entre 2002 e 2014, entre 54 e 58% dos deputados estavam na Câmara para um novo mandato consecutivo e entre 5 e 8% eram ex-parlamentares que voltavam à Casa. As informações são da Agência Câmara Notícias.

Alexandre Almeida, Antunes Macêdo e Paulo Marinho Júnior arrastam multidão em caminhada pelas ruas de Timon

Uma verdadeira multidão se reuniu para percorrer as ruas dos bairros Cidade Nova, Vila Bandeirantes e Parque Alvorada, em Timon, junto com os candidatos a senador, Alexandre Almeida, deputado estadual, Antunes Macêdo e deputado federal, Paulo Marinho Júnior. Alexandre Almeida, o mais jovem candidato a senador do Brasil, destacou o carinho que ele e os candidatos Antunes Macêdo e Paulo Marinho Júnior receberam da população durante a caminhada, e lembrou ainda que sua eleição representará a chegada de Timon no Senado Federal.

“A população timonense mostrou que está aberta à uma nova possibilidade política hoje, no nosso Estado e no nosso país. Estão cansados dos políticos profissionais, que exercem a política como profissão, que passam décadas exercendo cargos no Senado ou na Câmara Federal. O Maranhão quer renovação e é isso que nossa chapa está oferecendo à nossa população, onde pela primeira vez na história Timon tem um candidato concorrendo ao Senado. Essas demonstrações de carinho da população timonense nos enchem de ânimo para as últimas semanas da campanha, vamos continuar mostrando ao Maranhão que não podemos ficar apenas esperando que o futuro aconteça”, ressaltou Alexandre Almeida.

Para Antunes Macêdo a caminhada desta tarde representa uma nova possibilidade de representação política em Timon e no Maranhão. “Nossa candidatura nasceu das bases populares, do meu trabalho junto à população, o que me levou até à Câmara Municipal de Timon, como vereador, e agora me colocou novamente à disposição da população para disputar uma vaga à Assembleia Legislativa. Tenho certeza que tendo Alexandre Almeida no Senado, Paulo Marinho Júnior na Câmara Federal e ao chegarmos à Assembleia, poderemos transformar Timon e o Maranhão para melhor, com mais qualidade de vida e oportunidades para todos”.

Já o candidato a deputado federal Paulo Marinho Júnior ressaltou a enorme receptividade que os candidatos tiveram pelas ruas de Timon. “Timon sempre foi uma cidade que nos abraçou com muito carinho e nesta tarde tivemos novamente essa demonstração. A grandiosidade desta caminhada mostrou a forças das candidaturas de Alexandre Almeida e Antunes Macêdo, junto à população timonense”, destacou. 

terça-feira, 25 de setembro de 2018 às 09:59

Multidão acompanha Roberto Rocha pelas ruas de São Bento

Uma multidão acompanhou Roberto Rocha pelas ruas de São Bento, neste domingo,23
Candidato ao governo do Maranhão pelo PSDB, o tucano chegou na cidade no final da tarde, acompanhado do candidato a deputado federal Waldir Maranhão, e seguiu direto para a Rádio São Bento FM, ocasião em que juntou-se à comitiva o candidato a senador e deputado federal José Reinaldo.

Em entrevista ao radialista Isanilson Dias, Roberto Rocha falou de suas propostas para o desenvolvimento econômico do Maranhão. Sobre a baixada maranhense, o tucano destacou a importância do programa “Diques da Baixada”, para o qual, ainda como deputado federal, já destinava emendas e, como senador, conseguiu que fosse aprovisionado, no Orçamento Geral da União de 2017, recursos que garantiram o projeto executivo, etapa inicial do programa.  Executado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (CODEVASF), o “Diques da Baixada” é considerado a redenção social e econômica para os municípios da baixada maranhense.

Roberto Rocha também destacou o seu empenho, como senador, pela federalização de importantes rodovias como a MA 014 e a MA 016, que vão contemplar as cidades de Santa Inês, Monção, Penalva, Matinha, Olinda Nova do Maranhão, São Bento e Pinheiro. Com a federalização, além de garantir melhores condições de manutenção para as rodovias, a medida garante a desoneração dos recursos do governo estadual, que poderá aplicar a verba em outras áreas. Ao se referir ao motivo sobre o qual se candidatou ao governo do estado, Roberto Rocha afirmou que o Maranhão precisa de alternativas. “Precisamos de alternativas para o Maranhão. Só tem duas formas de isso acontecer: produção e investimento. Precisamos preparar o Maranhão e os maranhenses para que esse crescimento flua e tire o nosso povo do atraso. Não é aceitável um estado tão rico e as pessoas do nosso estado sofrendo com a pobreza”, declarou Rocha.

Após a entrevista, Roberto Rocha seguiu para o local de concentração da caminhada organizada pelo ex-prefeito Carrinho (São Bento), onde milhares de pessoas já aguardavam para caminhar com os candidatos. Pelas ruas da cidade, a Caravana da Esperança foi recebida com entusiasmo pelos moradores, que juntavam-se à caminhada à medida que a multidão passava.

Após percorrer as principais ruas da cidade, a multidão seguiu para o estádio municipal de futebol, para um comício que atraiu mais de três mil pessoas. Além de Roberto Rocha, José Reinaldo, Waldir Maranhão e o ex-prefeito Carrinho, estiveram no palanque o ex-prefeito de Pinheiro, Zé Genésio, além de outras lideranças locais. A população ouviu atentamente o discurso do candidato tucano ao governo. “Hoje é um dia especial pela visita de Roberto Rocha. Gostei de ouvir ele. Vai fazer com o que nosso estado se desenvolva”, Disse Maria de Jesus, moradora do município há 40 anos.  

Lei da Ficha Limpa retira 173 candidatos das eleições de outubro

TSE confirma 27.213 candidaturas, 4% a mais que em 2014
Dos 29.101 candidatos que pediram registro, a Justiça Eleitoral rejeitou 1.888, o que representa 6,5% do total. Segundo dados disponíveis no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 173 candidatos foram julgados inaptos por causa da Lei da Ficha Limpa, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que disputaria o Palácio do Planalto pelo PT.

A falta de requisitos para registro - como a não comprovação de pleno exercício dos direitos políticos, alistamento eleitoral e filiação partidária - foi o principal motivo para indeferimento de candidaturas – 75,46% do total de pedidos. Treze candidatos foram considerados inaptos a disputar as eleições por abuso de poder e outros cinco por gasto ilícito de recursos.

A Justiça Eleitoral confirmou 27.213 candidaturas, um crescimento de 4% em relação a 2014, quando 26.162 disputaram as eleições gerais – presidente, governador, senador, deputado federal, estadual e distrital. Até agora, 682 candidatos renunciaram e três morreram.

Embora a corrida presidencial seja a mais discutida no país, a eleição para a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) é a mais disputada: são 40,88 candidatos por vaga. A Câmara Legislativa tem 24 cadeiras e se apresentaram 981 concorrentes.

As 26 assembleias legislativas têm 1.035 cadeiras e 17.950 candidatos, o que dá em média 17,34 concorrentes por vaga. Para as 513 vagas na Câmara dos Deputados, são 8.595 postulantes (16,75 por vaga).

Do total de candidatos, 13 disputam a Presidência da República, 202 concorrem a governador dos 26 estados e do Distrito Federal e 358 postulam o Senado. Neste ano, estão em disputa duas cadeiras de senador por estado, totalizando 54 vagas.

O PSL foi o partido que lançou o maior número de candidatos país afora – 1.543, 5,3% do total. Além do presidenciável Jair Bolsonaro, 942 concorrem a deputado estadual, 488 a deputado federal, 24 a deputado distrital, 22 a senador, 14 a governador, 11 a vice-governador e 41 a suplente de senador.

Na sequência vêm o PSOL, com 1.347 concorrentes e o PT, com 1.309 candidatos. Além do presidenciável Guilherme Boulos, o PSOL lançou candidatos a governador em 25 estados. O PT tem candidato a presidente, Fernando Haddad, e disputa 16 governos estaduais. As informações são da Agência Brasil.

segunda-feira, 24 de setembro de 2018 às 10:27

Governadores sofrem na busca pela reeleição

Apenas oito dos 20 que competem por mais quatro anos no poder estão em situação confortável
Turbulências econômicas, explosão da violência, desgaste com escândalos de corrupção e crise migratória criaram um novo cenário nas eleições estaduais: a dificuldade de governadores nas próprias campanhas à reeleição. Há 20 estados onde o atual ocupante do cargo tenta um novo mandato, mas apenas oito deles estão isolados em primeiro lugar, em situação confortável para prolongar o poder por mais quatro anos, segundo as pesquisas de intenção de voto mais recentes. Caso a situação se mantenha, esta será a menor taxa de reeleição desde que a possibilidade passou a valer nas disputas para os governos estaduais. Entre 1998 e 2014, 69% dos governadores que tentaram um novo mandato conseguiram o feito. O desempenho mais baixo aconteceu em 2002, quando 58% se reelegeram. Hoje, a projeção indica a vitória de 40%.

Nos 12 estados em que os governadores enfrentam dificuldades na campanha, há quatro em que eles estão em empate técnico com adversários no primeiro lugar: José Ivo Sartori (MDB), no Rio Grande do Sul; Paulo Câmara (PSB), em Pernambuco; Waldez Góes (PDT), no Amapá; e Belivaldo (PSD), em Sergipe. Nas simulações de segundo turno, Sartori e Câmara aparecem em empate técnico com os adversários — Eduardo Leite (PSDB) e Armando Monteiro (PTB), respectivamente. Já Góes perderia para os dois possíveis adversários, enquanto Belivaldo ganharia de um e perderia de outro.

Nos outros nove estados, a situação é ainda mais complicada. Alguns exemplos são as situações de Márcio França (PSB), que hoje estaria fora do segundo turno em São Paulo, e Cida Borghetti (PP), no Paraná, que perderia no primeiro turno para Ratinho Júnior (PSD), segundo o Ibope.

Já em Minas Gerais, o cenário atual indica que o governador Fernando Pimentel (PT) e o senador Antonio Anastasia (PSDB) vão disputar o segundo turno. O petista está atrás do adversário (33% a 23%, segundo o Datafolha) e perderia no segundo turno. A campanha mineira está centrada na situação fiscal do estado — o governo precisou parcelar o salário dos servidores e, ainda assim, atrasou pagamentos. Anastasia tem explorado o assunto, enquanto Pimentel se defende afirmando que o caos foi provocado pelo governo do tucano, que o antecedeu.

— O estado está quebrado, e essa discussão está sendo jogada para o eleitor. É uma guerra de versões, mas como a memória mais recente é sempre mais importante, a lembrança dos salários atrasados acaba pesando mais — avalia o cientista político Carlos Ranulfo, professor da UFMG.

CRISE MIGRATÓRIA

Em Roraima, a governadora Suely Campos (PP) aparece em terceiro lugar, atrás de Anchieta (PSDB) e Antonio Denarium (PSL). A crise migratória da Venezuela é o principal tema da campanha, com a discussão sobre o fechamento das fronteiras. O cientista político Eloi Parreiras, professor da Universidade Federal de Roraima (UFRR), cita outros elementos que também atrapalham o desempenho da atual governadora:

— É um estado que depende muito das transferências de recursos federais e emendas parlamentares, e a governadora está isolada politicamente. E todos os candidatos estão usando a crise migratória na campanha, mas não existe uma diferença muito grande entre os discursos deles.

No Rio Grande do Norte, onde o governador Robinson Faria (PSD) está em terceiro lugar, a segurança é um dos temas mais discutidos. Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, é o estado mais violento do Brasil, com uma taxa de 68 mortes violentas intencionais por cem mil habitantes — a taxa brasileira é de 30,8. No Mato Grosso, o governador Pedro Taques (PSDB) está em segundo lugar. O tucano é acusado por delatores de ter recebido caixa dois em campanhas eleitorais em um esquema de desvios em licitações e é investigado no Superior Tribunal de Justiça (STJ) no escândalo da central clandestina de grampos no estado. Ele nega as acusações, mas o assunto tem sido explorado por adversários.

(Fonte: O Globo)

sábado, 22 de setembro de 2018 às 09:03

Candidatos não poderão ser presos até o dia da eleição a partir deste sábado (22)

A imunidade continua valendo para candidatos que passarem para a disputa de segundo turno. Já os eleitores não poderão ser presos no período entre 2 e 9 de outubro
A imunidade impede que o candidato seja afastado da disputa eleitoral por prisão que possa ser posteriormente revista
A partir deste sábado (22), nenhum dos candidatos nas eleições deste ano poderá ser preso ou detido, a menos que seja flagrado cometendo crime. A chamada imunidade eleitoral de candidatos está prevista no Código Eleitoral (Lei 4.737/65) e começa a valer 15 dias antes da eleição (7 de outubro).

A imunidade garante ao candidato o direito ao pleno exercício da democracia, impedindo que ele seja afastado da disputa eleitoral por prisão ou detenção que possa ser posteriormente revista.

“Na verdade, é uma forma de garantir a normalidade das eleições. Antigamente era comum a autoridade policial estar a serviço de determinada candidatura e fazer prisões arbitrárias para impedir que eleitores apoiassem opositores. Por isso, essa garantia eleitoral se estabelece em torno não só dos candidatos, mas até mesmo dos eleitores”, explica o advogado eleitoral e ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) José Eduardo Alckmin.

Ele esclarece ainda que, mesmo em caso de prisão ou detenção por flagrante delito, o candidato continuará na disputa, uma vez que a Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10) proíbe apenas candidaturas de pessoas condenadas em segunda instância por órgão colegiado (tribunal).

“Enquanto ele não for condenado, ele está elegível. Uma mera prisão preventiva, antes de uma condenação de órgão colegiado de segundo grau, não impede que ele continue a concorrer com os demais candidatos”, acrescenta Alckmin.

Neste ano, mais de 27 mil candidatos concorrem aos oito cargos eletivos: Presidência da República e vice, governador e vice, Câmara dos Deputados e assembleias legislativas, além das duas vagas para o Senado. Só para a Câmara, são mais de 8 mil candidatos.

Imunidade do eleitor

No caso dos eleitores, a imunidade eleitoral é mais restrita e impede prisões 5 dias antes o pleito até 48 horas após a eleição.

Na prática, nenhum eleitor poderá ser preso ou detido no período entre 2 e 9 de outubro deste ano, a menos que seja flagrado cometendo crime; ou haja contra ele sentença criminal condenatória por crime inafiançável, como racismo, tortura, tráfico de drogas e terrorismo; ou ainda por desrespeito ao salvo-conduto de outros eleitores, criando, por exemplo, constrangimentos à liberdade de votar.

Ocorrendo qualquer prisão, o preso será imediatamente levado à presença do juiz competente, que avaliará a legalidade da detenção ou a revogará. As informações são da Agência Câmara Notícias.

sexta-feira, 21 de setembro de 2018 às 18:00

Roberto Rocha viabiliza R$ 150 milhões para recuperação das águas do Maranhão e obras estruturantes via Codevasf

Desde novembro de 2017, quando a área de abrangência da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) foi ampliada para todo território maranhense, por força de lei de autoria do senador e candidato ao governo do Maranhão, Roberto Rocha (PSDB), já foram viabilizados pelo congressista cerca de R$ 150 milhões.

Com os recursos assegurados e as obras executadas, a consequência automática é de que as atividades rurais serão impulsionadas, através do aumento da produção de alimentos, novas oportunidades de empregos, distribuição de renda e melhoria nos índices sociais das famílias que vivem no campo. As obras realizadas nos centros urbanos também prometem potencializar o desenvolvimento das cidades e melhorias na qualidade de vida da população.

“O Maranhão reúne totais condições para ser destaque na produção de alimentos na região Nordeste e ter um novo ciclo de progresso nas zonas urbanas. Eu quero preparar o nosso povo trabalhador para um novo patamar das atividades econômicas rurais, possibilitando que as famílias tenham a chance de plantar, comercializar o que produz de forma competitiva e aqueles que moram nos municípios a chance de conviver com uma cidade melhor”, disse Roberto Rocha.

Dentro dos recursos viabilizados, o parlamentar maranhense e candidato ao governo assegurou quase R$ 10 milhões para a recuperação completa de estradas vicinais em diversos municípios. “A revitalização de todas elas vai melhorar a trafegabilidade e os acessos das comunidades rurais, além da ampliação do escoamento da produção, especialmente, para famílias que vivem do sustento da agricultura familiar”, disse Roberto Rocha.

Para a Baixada Maranhense, região mais pobre do Maranhão e do Brasil, o senador maranhense viabilizou, através da Codevasf, cerca de R$ 10 milhões para construção de 500 cisternas, que quando estiverem prontas, vão ajudar a captação de água para consumo humano e animal e, também, na melhoria da atividade da agricultura e pecuária para pelo menos 500 mil famílias.

Também está no cronograma das ações do senador a construção dos chamados Diques da Baixada. Uma obra monumental, via Codevasf, que vai proteger os campos e os lagos ao longo de 71 km da Baía de São Marcos, cobrindo 21 municípios, impedindo que a água do mar penetre nas áreas de água doce. O resultado será um criadouro natural e perene para a irrigação, o cultivo de pescados, agricultura, pecuária, transformando a economia da região, gerando milhares de empregos e renda para às famílias da baixada. “Quando essa obra for entregue, o Maranhão se tornará o maior produtor de arroz do Nordeste e exportaremos a nossa produção de alimentos para as demais regiões do País. A Baixada deixará de ser uma região pobre para se tornar produtiva e viável”, destacou Roberto Rocha.
BARRAGENS

Estão em fase de estudos e elaboração de projetos a construção de 11 barragens pelo Maranhão. Elas serão implantadas com tecnologias visando contemplar o acesso a água de consumo, denominada “primeira água”. As barragens também vão permitir uma melhora significativa nas atividades que envolvem a irrigação, como plantio, lavouras e produção de alimentos em geral. O resultado é o aumento dos índices socioeconômicos de cada região, permitindo melhores condições de vida aos homens do campo.
SOCORRO AS ÁGUAS MARANHENSES

Bandeira permanente do senador, o cuidado e preservação ambiental correm perigo. Recentemente, a Codevasf percorreu aproximadamente 20 mil quilômetros em pesquisa de campo dos Rios Mearim e Itapecuru. O estudo dessa natureza foi pioneiro, do ponto de vista parlamentar. É que nenhum congressista do país havia viabilizado recursos para essa finalidade. E os resultados são preocupantes: alta degradação das nascentes, poluição e assoreamento em vários pontos.

Com a presença da empresa pública no Maranhão, as obras de recuperação e revitalização completa dos rios maranhenses podem se tornar realidade, através de ações como as de controle de processos erosivos, proteção das nascentes e desassoreamento dos rios. No pacote está incluído também a Lagoa da Jansen, em São Luís, que há anos está poluída e nada foi feito para mudar essa situação. “Consegui viabilizar um crédito orçamentário para projeto de recuperação, sustentabilidade ambiental da lagoa. Tenho a convicção de que com a Codevasf, as coisas vão acontecer” afirmou Roberto Rocha.

Para ajudar a salvar as águas do Maranhão, o senador já viabilizou junto com a bancada de deputados e senadores mais R$ 15 milhões para compra de equipamentos modernos e maquinários de última geração, como dragas, escavadeiras hidráulicas, caçambas, tratores que serão usados para recuperação das nascentes e bacias do estado.
INFRAESTRUTURA URBANA


O município de Balsas foi o escolhido para ser o primeiro do Maranhão a ter 100% de águas e esgotos tratados, além de ruas com drenagens e totalmente pavimentadas no Maranhão. O projeto de engenharia e saneamento básico para no valor de R$ 4 milhões já foi viabilizado por Roberto Rocha e os R$ 100 milhões para implantação completa da rede foram garantidos. “Será a maior obra de saneamento básico que estará em curso em toda a região Nordeste do Brasil. Água limpa e esgoto com destinação correta, longe das casas e das pessoas”, comemorou o congressista.

A implantação de perímetros irrigados em Imperatriz e Balsas, por meio da Codevasf, promete alavancar a produção de alimentos na região Tocantina e Sul do Estado. Logo, poderão ser criadas áreas extensas que permitem o desenvolvimento e o plantio de várias culturas, como uva, manga, acerola e outras. Os recursos estão sendo trabalhados, em Brasília, por Roberto Rocha. “Construiremos uma nova Petrolina no Nordeste brasileiro, exportando frutas, verduras e legumes para todas as regiões, com a qualidade do solo maranhense” finalizou o parlamentar.

Timon: Rodeio Churrascaria apresenta Jeruílson e Forró de Latada nesta sexta-feira (21)

Nesta sexta-feira (21/09), a partir das 20h30, Rodeio Churrascaria apresenta Jeruílson e Forró de Latada, que faz o diferencial no mundo artístico da região. Por isso, você não é louco de perder!  E tem mais: depois das 18h, open house.

Então, faça parte do nosso show de musicas ao vivo. Agradece Rodeio Churrascaria, na Avenida Piauí, em Timon (MA).

É hoje!

Leandro Bello e Henrique Júnior seguem recebendo apoios importantes

Henrique Júnior e Leandro Bello recebem apoio as suas candidaturas
A dobradinha entre os candidatos a cargos proporcionais Leandro Bello (deputado federal pelo DEM) e Henrique Júnior (deputado estadual pelo PMN) seguem recebendo apoios importantes por todo Maranhão. Na manhã desta sexta-feira (21), Leandro Bello e Henrique Júnior receberam adesão de duas importantes lideranças políticas, Juraci da cidade de São Francisco do Maranhão e João Afonso liderança comunitária do bairro Pedro Patrício de Timon.

"Fico muito feliz em anunciar mais estas adesões, que representa a solidez da nossa pretensão de chegar à Câmara Federal. Estamos trabalhando bastante e fortalecendo nossa campanha", destacou Leandro Belo.

"Nossa expectativa é muito boa, nosso projeto é fortalecer nossa região fazendo a boa e nova política, só temos a agradecer pela confiança de todos os amigos que estão chegando para caminhar ao nosso lado rumo a Assembleia do Maranhão" disse Henrique Júnior.

quinta-feira, 20 de setembro de 2018 às 16:58

Justiça Eleitoral rejeita 2,6 mil candidaturas, 6% por Ficha Limpa

Quase metade desses candidatos ainda se mantém na disputa, entretanto, porque recorreram da decisão e aguardam novo julgamento
G1- A Lei da Ficha Limpa motivou a rejeição de 157 candidaturas nas eleições de 2018 até agora, segundo dados parciais do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O número representa 6% das 2.599 candidaturas cassadas.

Esse total está dividido em 2 grupos

 - 1.255 estão fora das eleições de 2018, pois não cabe mais recurso. Elas são chamadas de indeferidas, e 80 foram barradas por conta da Ficha Limpa.

 - 1.344 candidaturas foram rejeitadas, mas continuam na disputa, porque há um recurso ainda não analisado. Elas são chamadas indeferidas com recurso, e 77 estão nessa situação por conta da Ficha Limpa.

Sancionada em 2010, a lei impede de concorrer nas eleições quem foi condenado em 2º instância, renunciou ao mandato após abertura de processo ou teve as contas rejeitadas pelos tribunais de contas. Os dados de motivo de cassação de candidaturas começaram a ser divulgados pelo TSE em 2016, portanto não é possível fazer uma comparação com a última eleição majoritária, de 2014.

Para dois especialistas ouvidos pelo G1, os partidos podem ter evitado apresentar candidaturas de quem se enquadra na Ficha Limpa e, por isso, a fatia de rejeições por conta da legislação é de apenas 6%.

O motivo principal para a rejeição de candidaturas é a ausência de requisito de registro, que ocorre quando o candidato não apresentou todos os documentos ou preencheu todos os requisitos exigidos pela lei eleitoral. Das 2.599, 2.251 foram rejeitadas por conta disso (veja a tabela detalhada abaixo).

Como o impedimento pode se dar com base em mais de um motivo, o número total deles (2.950) é superior ao de candidaturas rejeitadas (2.599).

92% foram aprovados

No total, 29.098 candidatos apresentaram pedidos para concorrer nas eleições de outubro aos cargos de presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual, segundo o último balanço disponível, de quarta-feira (19). Dessas, 27.402 (92,9%) são consideradas aptas, o que inclui as deferidas, as indeferidas com recurso e as que estão pendentes de julgamento.

As inaptas são 1.970. Elas incluem as indeferidas sem possibilidade de recurso, as renúncias, os pedidos que sequer foram apreciados pelo juiz, as canceladas e as de candidatos que morreram. Há ainda 86 que não tiveram a tramitação iniciada.

Esses números ainda podem mudar. A Justiça Eleitoral tinha até segunda-feira (17) para julgar todos os pedidos de candidaturas, mas nem todos foram analisados ou tiveram os resultados computados nas estatísticas divulgadas pelo TSE.

O TSE explica que o prazo de 17 de setembro para que os tribunais julgassem os pedidos é considerado um "marco legal", e que o descumprimento não acarreta punição aos TREs, que seguirão analisando os pedidos e, no caso das instâncias superiores, os recursos.

Candidatos indeferidos estarão nas urnas?

Diferentemente do que ocorre com a análise inicial, o TSE diz que não há prazo para que os recursos apresentados pelos candidatos sejam julgados. Por causa disso, alguns deles podem chegar ao dia da votação com a candidatura ainda indeferida com recurso.

Nesses casos, o nome do candidato aparece na urna eletrônica, mas os votos que ele receber só serão computados depois que o pedido for julgado. Se o candidato for declarado inapto, os votos que ele recebeu serão considerados nulos.

Enquanto isso, todos os candidatos que ainda não foram oficialmente considerados aptos poderão seguir fazendo campanha eleitoral, exceto nos casos nos quais o juiz proíbe expressamente.

Assim que um pedido é indeferido pela Justiça Eleitoral, o candidato tem até três dias para apresentar um recurso – independentemente de o indeferimento ter acontecido antes ou depois do dia 17.

Por que a Ficha Limpa barra poucos candidatos

Uma hipótese para explicar os 6% de candidaturas barradas pela Ficha Limpa é a diminuição da inscrição de candidatos condenados por corrupção. "Essas candidaturas podem estar diminuindo, porque os candidatos, preventivamente, vislumbram que serão enquadrados", afirma William Nozaki, professor de ciência política da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (Fespsp).

Para Sérgio Praça, cientista político da Fundação Getúlio Vargas, os próprios partidos podem ter rejeitado candidatos com esse perfil. "Pela quantidade de casos de corrupção que vimos nos últimos anos, previa-se que mais candidatos seriam enquadrados na Lei da Ficha Limpa."

“Fake News”? Mais um processo contra Weverton Rocha foi aceito pela Justiça

Mesmo posando de bom moço, o deputado federal e candidato ao Senado Federal pelo PDT, Weverton Rocha, foi surpreendido nesta quarta-feira, 19 de setembro, com decisão do Juiz Nelson Loureiro dos Santos da 6ª Vara de São Luís. O magistrado acatou a Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF) pelo crime de improbidade administrativa. 

Isso significa que Weverton terá que responder pelos problemas encontrados nos repasses de recursos federais do FNDE ao Estado do Maranhão, em 2008, exatamente na época em que ele era o Secretário de Esporte e Juventude do Estado do Maranhão.

Segundo o magistrado, “os argumentos trazidos pelos requeridos [entre eles, Weverton Rocha] em suas defesas preliminares não são suficientes para afastar desde logo a ocorrência de ato de improbidade, sendo necessário o avanço da causa para a fase instrutória”.

O mais irônico é que, ainda nesta quarta-feira, o candidato de Flávio Dino (PCdoB) publicou em sua página no Facebook um recorte de jornal que acusa o deputado estadual e candidato ao Senado Federal pelo PSDB, Alexandre Almeida, de virar uma “metralhadora de denúncias”. 

No comentário sobre o texto assinado por Weverton, o pedetista diz que “não adianta vir com fake news que o povo do Maranhão está atento. Para cada notícia difamatória, temos trabalho e verdade para mostrar”. A decisão da justiça de hoje não parece nenhuma “fake news” e pode ser conferida através de consulta pública aqui.

Entenda o caso

A reação ocorreu depois que Alexandre Almeida divulgou nas redes sociais um vídeo (veja) em que dois jovens fazem uma pesquisa na rua e demonstram aos eleitores, através do aplicativo Detector de Ficha de Políticos, a quantidade de processos pelos quais Weverton Rocha responde. 

Com apenas 38 anos, o pedetista já responde por cinco ações diferentes de crimes contra a Lei de Licitações, improbidade administrativa e dano ao erário.

Weverton Rocha respondeu dizendo que “a diferença [entre os dois] é que a gente tem a nossa militância para responder por nós. Sei apanhar, mas também sei bater”. 

Veja a lista de processos que Weverton responde:

Inquérito nº 3621/ Ano: 2013 / STF 

É investigado em inquérito que apura crime na Lei de Licitações quando era secretário de Esporte do MA. Segundo denúncia, Rocha teria favorecido empresa na contratação para reforma e ampliação do Ginásio Costa Rodrigues em São Luís (MA), praticando dispensa irregular de licitação. A denúncia foi recebida.

Inquérito nº 3394/ Ano: 2012 / STF  

É alvo de inquérito referente à crimes de peculato, corrupção passiva e ativa. Segundo denúncia, quando era assessor especial do Ministério do Trabalho e Emprego, Rocha teria praticado desvio de verbas por meio da contratação irregular de ONGs pela pasta. A investigação foi enviada para a Seção Judiciária do Distrito Federal (DF).

Ação Civil de improbidade administrativa/ TRF

De acordo com a denúncia, quando assessor do Ministério do Trabalho, Rocha teria se beneficiado de fretamento de jatinho custeado por entidade social que mantinha convênio com a pasta.

Ação Civil pública Nº 37418-04.2009.8.10.0001/ Ano: 2009 / TJ

Com dano ao erário. É acusado de, quando secretário de Esporte, ter usado verba pública para reformar o campo de futebol da Associação dos Delegados da Polícia Civil (ADEPOL).

Ação Civil de improbidade administrativa Nº 0039385-25-2012.4.01.3700/ Ano: 2012 / TJ

É alvo de Ação Civil de Improbidade Administrativa movida pela Ministério Público Federal.

O mito do voto nulo e por que eleições podem ser anuladas

Entenda as diferenças entre votos brancos e nulos e seus efeitos segundo as regras eleitorais brasileiras
Uma eleição é anulada quando há mais de 50% de votos nulos? A resposta é não. De acordo com as regras eleitorais brasileiras, para a contagem dos votos dos candidatos, excluem-se os votos nulos e brancos. Por isso, contam-se apenas os “votos válidos”, aqueles dados aos candidatos participantes do pleito.

Em época de eleições, sempre surgem correntes defendendo o voto nulo como forma de protesto. Geralmente, propaga-se a ideia de que, se os nulos somarem mais da metade dos votos na urna eletrônica, o pleito deve ser anulado e a Justiça Eleitoral é obrigada a convocar novas eleições. “É um boato que aparece em toda eleição”, diz a advogada eleitoralista Paula Bernardelli.

Mas há algum caso em que uma eleição pode ser anulada? A resposta aqui é sim. Segundo a especialista, se um candidato tiver o registro de candidatura cassado depois de ser eleito, seus votos são anulados e a eleição deve ser refeita. O mito sobre o suposto poder do voto nulo se dá, segundo ela, devido a uma interpretação equivocada do artigo 224 do Código Eleitoral, que usa o termo “nulidade” para explicar a anulação do pleito por votos cassados.

Depois de conversar com a advogada eleitoralista, o Terra selecionou as principais dúvidas sobre votos nulos e brancos e explicou em que casos uma eleição pode, de fato, ser anulada. Confira abaixo:

Por que existe voto branco e nulo?

Há a necessidade de que a urna dê essa opção porque, embora o voto seja obrigatório no Brasil, os eleitores não são obrigados a escolher um dos candidatos que estão na disputa.

Quais são as diferenças entre votos nulos e brancos?

O que a urna traz é a opção do voto branco. O eleitor que não deseja votar em nenhum candidato pode simplesmente pressionar a tecla “Branco” e depois confirmar.

Para votar “nulo”, é preciso digitar um número que não seja de nenhum candidato registrado no pleito. Este voto era visto como um erro do eleitor na hora de escrever (na época do voto em papel) ou digitar (na urna eletrônica). Segundo a advogada eleitoralista, é difícil mensurar a proporção de erros de digitação e de “nulos conscientes”. Porém, ela acredita que a maioria deseja de fato anular o voto.

Ideologicamente, também há uma diferença entre os dois. O voto branco indicaria que o eleitor aceita que qualquer um dos candidatos seja eleito. O voto nulo, por outro lado, seria uma manifestação de que ele não se sente representado por nenhum candidato.

Votos brancos vão para o candidato com mais votos?

Não. Antigamente, nas votações com cédulas, os papéis deixados em brancos, que configuravam este tipo de voto, podiam ser alvos de fraude. Ou seja, poderiam, de maneira irregular, ser preenchidos com o número de algum candidato. Porém, os votos em branco nunca foram contabilizados para candidatos em decorrência do processo regular de apuração.

Votos nulos podem anular uma eleição?

Não. Como foi dito no início do texto, os votos nulos não podem cancelar o resultado de uma eleição realizada. Eles servem apenas para contabilizar o total de votos. Mas o que realmente vale para a eleição são os “votos válidos”, ou seja, aqueles dados aos candidatos na disputa.

Quando uma eleição pode ser anulada?

O artigo 224 do Código Eleitoral determina que, quando um candidato eleito tem o registro cassado pela Justiça, seus votos são anulados e o tribunal eleitoral competente deve convocar novas eleições a serem realizadas entre 20 e 40 dias após a decisão.

Em cidades com menos de 200 mil habitantes, não existe segundo turno nas eleições municipais. Antes da minirreforma eleitoral de 2015 (Lei 13.165), caso o vencedor tivesse o registro cassado, o segundo colocado do pleito assumia o cargo. Com a mudança da regra, que já valeu nas eleições de 2016, não há mais a possibilidade de o segundo herdar a vaga. Por isso, são convocadas novas eleições em todos os casos de cassação de registro.

O candidato com registro cassado fica impedido de concorrer novamente. Já os demais postulantes podem participar normalmente do segundo pleito.

(Fonte: Portal Terra)

quarta-feira, 19 de setembro de 2018 às 21:00

Leandro Bello e Henrique Júnior intensificam campanha em Timon

Leandro Bello e Henrique Júnior pedem votos no Residencial João Emílio Falcão
A dobradinha entre os candidatos a cargos proporcionais Leandro Bello (deputado federal pelo DEM) e Henrique Júnior (deputado estadual pelo PMN), vem dando certo na busca por votos nas zonas urbana e rural de Timon. Na terça-feira (18), Leandro Bello e Henrique Júnior fizeram visitas no corpo a corpo durante caminhada pelas ruas do Residencial João Emílio Falcão, na zona urbana de Timon.

(Do Blog do Ademar Sousa)

Timon: O silêncio do governo Leitoa sobre atraso de salários dos terceirizados

Atraso de salários na Prefeitura de Timon ganha repercussão na Câmara
O prefeito de Timon, Luciano Leitoa (PSB) precisa urgentemente vir a público esclarecer a situação de milhares servidores terceirizados da empresa Mega On Soluções que segundo informações estão com seus salários atrasados. Até o momento, o assunto dentro da gestão Leitoa é tratado no mais absoluto silêncio.

Na sessão desta quarta-feira (19), o vereador Raimundo da Ração (SD), durante pronunciamento na tribuna da Câmara repercutiu a situação que funcionários públicos terceirizados de Timon estão passando com salários atrasados. "Nós temos que se preocupar com os servidores que estão sem receber salários da prefeitura, tem uns que estão com quatro e até cinco meses", alertou Raimundo da Ração.

O segundo mandato do prefeito de Timon, Luciano Leitoa além passar por uma interminável crise política em sua base na Câmara de Vereadores, ao que tudo indica, está entrando em um profundo declínio administrativo. Há quem acredite que o prefeito Luciano Leitoa pode repetir governos anteriores e deixar o comando do Executivo Municipal também com salários atrasados para seu sucessor.

É aguardar e conferir.

Roberto Rocha participa de caminhada e inaugura comitê em Barra do Corda

Roberto Rocha, candidato ao governo do Maranhão pelo PSDB, cumpriu uma agenda em Barra do Corda, no domingo (16) e na segunda (17), que incluiu visitas, encontros com lideranças, uma caminhada e a inauguração do comitê do PSDB na cidade.

Acompanhado do candidato a deputado federal e ex-prefeito Sebastião Madeira, Roberto Rocha chegou ao município no ônibus da Caravana da Esperança e foi diretamente para o mercado municipal, tomar café e conversar com os feirantes, hábito já conhecido do candidato, em suas visitas ao interior do Maranhão.

Em seguida Roberto Rocha e Madeira seguiram para prestigiar um jogo de futebol feminino que ocorria no Bairro Tamarindo. Logo após, seguiram para o Sindidato dos Agentes de Saúde onde coordenadores e agentes de Barra do Corda e mais sete municípios aguardavam para conversar com os candidatos sobre demandas e anseios profissionais. Ao final da reunião, os agentes de saúde declararam apoio à candidatura de Roberto Rocha. Á noite, Roberto Rocha e Sebastião Madeira se reuniram com comerciantes locais e mototaxistas.
Na segunda, 17, os candidatos participaram de uma caminhada pelas ruas de Barra do Corda. Seguiram visitando os principais pontos do comércio local e conversando com os comerciantes. Por onde passava a caminhava juntava mais pessoas. Os mototaxistas da cidade se juntaram à caminhada, que seguiu até o Comitê do PSDB. Na oportunidade o comitê foi inaugurado. Ao avaliar a programação em Barra do Corda, Roberto Rocha considerou positiva. “Em muitos lugares do nosso estado, o povo quer alternativas, outros políticos. Em Barra do Corda não é diferente. Há um cansaço, uma exaustão em relação às velhas práticas de governo. O Maranhão precisa acreditar no enorme potencial econômico que tem, precisa ter esperança. Para isso, novas práticas, é o que proponho ”, afirmou Roberto Rocha.

terça-feira, 18 de setembro de 2018 às 21:43

Alexandre Almeida é ameaçado por Edson Lobão Filho

Alexandre Almeida registra queixa na Polícia Federal contra ameaça sofrida por Edinho Lobão
A corrida ao Senado Federal do Maranhão acabou em ameaça. Nesta terça-feira (18), o deputado estadual e candidato ao cargo pelo PSDB, Alexandre Almeida, registrou uma queixa crime na Polícia Federal contra Edson Lobão Filho, o "Edinho Lobão", que é candidato a primeiro suplente na chapa do próprio pai, o senador e ex-governador, Edson Lobão (MDB). Alexandre tomou a decisão de solicitar proteção para si mesmo, para a esposa e para o filho de dois anos, depois que recebeu uma mensagem via WhatsApp em que Edson Lobão Filho o ameaçou e declarou que ele havia conquistado “um inimigo para toda a vida”.

Segundo a denúncia recebida pela PF, isso ocorreu porque “Edinho” não gostou de ver na televisão a propaganda eleitoral de Alexandre que foi veiculada na última segunda-feira. Na inserção, jovens maranhenses listam os inquéritos que Edison Lobão responde na justiça, como de corrupção, lavagem de dinheiro, associação criminosa e formação de quadrilha. Os jovens ressaltam ainda o fato de que se Edison Lobão for reeleito, ele terá a oportunidade de passar 40 anos exercendo o cargo de senador pelo Maranhão. assista aqui a íntegra do vídeo. 

Em entrevista concedida nesta tarde ao Programa Conexão 560, na Rádio Educadora AM, Alexandre Almeida afirmou que as informações sobre os inquéritos de Edson Lobão estão disponíveis no site do Ministério Público Federal (MPF). “É de se espantar que em nenhum momento Lobão Filho tenha tentado defender o pai e dizer que ele é inocente. Ao contrário, o que o indignou foi o fato de eu ter tido a audácia de informar o povo maranhense sobre o assunto, logo eu que não venho de família poderosa envolvida com política”, ressaltou.


Em outro vídeo, Alexandre Almeida, candidato mais jovem ao Senado no Brasil, também prometeu que não aceitará as intimidações. “Confio que a Polícia Federal vai proteger a mim e minha família nessa luta contra a velha política, àquela em que os políticos profissionais corruptos se utilizam de ameaças para continuar no poder”, acentuou.

Timon: MP recomenda a rede de supermercados garantir atendimento preferencial a pessoas com mobilidade reduzida

A Promotoria de Justiça de Defesa do Idoso de Timon encaminhou, no dia 11 de setembro, uma Recomendação à rede de supermercados Mix Mateus para que seja obedecida a legislação que determina o atendimento prioritário às pessoas com deficiência, idosos, gestantes, pessoas com crianças de colo e com mobilidade reduzida.

O estabelecimento tem prazo até o dia 21 de setembro para o cumprimento das medidas, que compreendem, entre outras, a disponibilização de assentos nos quatro caixas preferenciais, para maior conforto de idosos, gestantes, lactantes e pessoas com deficiência; atendimento preferencial a esse público nos demais guichês da loja, inclusive nos espaços de açougue, padaria, hortifrúti, frios e demais; a disponibilização de um funcionário nos dias de intenso movimento para informar aos consumidores sobre o atendimento prioritário.

Também estão entre as medidas recomendadas a orientação a todos os funcionários da rede de supermercados sobre a obrigação de cumprimento do Estatuto do Idoso (Lei nº 10.048/2000) e Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei 10.741/2003); que o Mix Mateus faça ampla divulgação em toda a mídia sobre o conteúdo da Recomendação, além de que seja modificada a etiqueta de identificação dos valores das mercadorias, para facilitar a visualização pelos idosos.

De autoria do promotor de justiça Fernando Berniz Aragão, que está respondendo pela Promotoria de Justiça de Defesa do Idoso, a Recomendação foi feita após vistoria no supermercado Mix Mateus, motivada por constantes reclamações de consumidores acerca do descumprimento da legislação que garante o atendimento prioritário às pessoas que não possam se submeter às mesmas condições de atendimento dos demais consumidores.

Na visita, ocorrida no dia 11 de setembro, o membro do Ministério Público acompanhado de duas servidoras constatou algumas irregularidades no cumprimento desse dispositivo legal, tanto nos caixas quanto nos demais departamentos do supermercado.