Anuncie aqui

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

"Dia D" de vacinação contra o sarampo acontece neste sábado (19)

Neste sábado (19), será realizado em todo o país o “Dia D de Vacinação contra o Sarampo”. A data é uma mobilização para estimular pessoas a se imunizarem contra a doença, cujos casos vêm crescendo no país nos últimos meses. Postos de saúde estarão abertos para receber os interessados em se proteger contra o sarampo ou que não tenham tomado todas as doses.

O “Dia D” faz parte da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, lançada no dia 7 de outubro pelo Ministério da Saúde, em parceria com secretarias estaduais e municipais.

A mobilização nacional de amanhã integra a primeira fase da campanha, até 25 de outubro, voltada a crianças com idade entre seis meses e 4 anos. Os bebês de até um ano apresentam coeficiente de incidência da doença de 92,3 a cada 100 mil habitantes, 12 vezes maior do que as demais faixas.

Na segunda etapa, programada para o período entre 18 e 30 de novembro, o foco será em pessoas de 20 a 29 anos. Essa faixa inclui a maioria do número de casos confirmados da doença, com 1.694, embora com coeficiente menor (13,2 casos a cada 100 mil habitantes) devido ao número de brasileiros nessa faixa de idade.

Devem ser vacinados os bebês de seis meses a 1 ano, que tomarão a chamada “dose 0”. As crianças de 1 a 5 anos devem receber duas doses, uma aos 12 meses e outra aos 15 meses. Em caso de aplicação de apenas uma das doses, é preciso se dirigir aos postos para realizar o complemento da segunda.

O objetivo é vacinar 39 milhões de pessoas ao longo da campanha, cerca de 20% dos brasileiros. Foram disponibilizadas neste ano 60,2 milhões de doses da tríplice viral, que imuniza contra sarampo, caxumba e rubéola. Para o próximo ano, o ministério anunciou a aquisição de mais 65,2 milhões de doses. O público-alvo será ampliado, abrangendo também as faixas de 50 a 59 anos.

Casos

Segundo o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde sobre Sarampo, de janeiro até outubro deste ano já haviam sido confirmados 6.640 casos e seis mortes. No período de 7 de julho a 29 de setembro, foram registrados 5.404 casos confirmados, enquanto 22.564 ainda estão em investigação. Outras 7.554 suspeitas foram descartadas. O período concentrou 81% dos casos confirmados neste ano.

Esses episódios ocorreram em 19 unidades da Federação, sendo a quase totalidade em São Paulo, com 5.228 casos (96,74%), em 173 cidades, principalmente na região metropolitana da capital paulista. Em seguida vêm o Paraná (39 casos, em 10 cidades), o Rio de Janeiro (28, em 9 municípios), Minas Gerais (25, em 8 localidades) e Pernambuco (24, em 8 cidades).

Como os registros estão em municípios específicos, quem quiser mais informações deve buscar a Secretaria de Saúde do estado para saber se a sua cidade está entre os locais de ocorrência da doença. Entre as mortes, cinco foram em São Paulo e uma em Pernambuco.

Sarampo

Causado por vírus, o sarampo é uma doença infecciosa grave, que pode levar à morte. A transmissão ocorre por via aérea, ou seja, quando a pessoa infectada tosse, fala ou respira próximo de outras pessoas.

Mesmo quando o paciente não morre, há possibilidade de a infecção ocasionar sequelas irreversíveis. Quando a doença ocorre na infância, o doente pode desenvolver pneumonia, encefalite aguda e otite média aguda, que pode gerar perda auditiva permanente.

Os sintomas do sarampo são febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, coriza (nariz escorrendo ou entupido) e mal-estar intenso. Quando o quadro completa de três a cinco dias, podem aparecer manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas.

A prevenção ao sarampo, feita por meio da vacinação, é fundamental, já que não há tratamento para a doença. O tipo de vacina varia conforme a idade da pessoa e a situação epidemiológica da região onde vive, ou seja, é necessário levar em conta a incidência da doença no local. Quando há um surto, por exemplo, a dose aplicada pode ser do tipo dupla viral, que protege contra sarampo e rubéola.

Existem ainda as variedades tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) e tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela, mais conhecida como catapora). As vacinas estão disponíveis em unidades públicas e privadas de vacinação. Segundo o Ministério da Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece doses gratuitamente em mais de 36 mil salas de vacinação, localizadas em postos de saúde de todo o Brasil.

O governo brasileiro recomenda que pessoas na faixa de 12 meses a 29 anos de idade recebam duas doses da vacina. Para a população com idade entre 30 a 49 anos, a indicação é de uma dose.

Recentemente, o Brasil perdeu o certificado de eliminação da doença. Na semana passada, passaram a apresentar semelhante condição quatro países da Europa: o Reino Unido, a Grécia, República Tcheca e Albânia. De acordo com o ministério, no primeiro semestre deste ano, o Cazaquistão, a Geórgia, Rússia e Ucrânia concentraram 78% dos casos registrados na Europa. As informações são da Agência Brasil.

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Rafael Leitoa desmonta discurso da oposição e exalta responsabilidade fiscal do Maranhão

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Rafael Leitoa (PDT), usou a tribuna para desmontar discurso falacioso da oposição de que o Maranhão estaria ultrapassando o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). De posse de documentos do Tesouro Nacional, órgão responsável pela aferição, ele provou que o estado gasta 57,34% na relação entre a despesa com pessoal e a receita corrente líquida. O limite é 60%.

Em agosto, Rafael Leitoa travou discussão com Adriano Sarney (PV) sobre o assunto, defendendo que houve equívoco na interpretação dos dados do Tesouro Nacional. Na época, a oposição pouco se importou com as explicações e difundiu o factoide sobre os gatos do Poder Executivo.

Agora, o Tesouro Nacional acabou confirmando que Leitoa estava certo, e o Maranhão segue sendo um dos poucos estados do Brasil, mesmo em meio à grave crise que assola o país, a cumprir as metas relativas a endividamento, resultado primário e despesas com pessoal.

“Então, mais uma vez, o governo Flávio Dino cumpre com a regularidade fiscal do Estado do Maranhão, apesar de todos os investimentos, em todas as áreas de políticas públicas”, destacou o Rafael Leitoa.

O líder do governo ressaltou ainda que não foi apenas o Tesouro Nacional que confirmou que o Maranhão tem uma boa saúde fiscal. “Nessa última avaliação, a agência de classificação Moody’s manteve a nota B da economia do Maranhão, com perspectiva estável. Isso representa a manutenção da confiança na capacidade de o Estado honrar seus compromissos”, explicou, lembrando que outra agência, a Fitch, também manteve nota estável.

“Apesar dessa imensa crise fiscal que a União e os entes subnacionais estão atravessando, estamos fazendo o dever de casa, com muita responsabilidade fiscal, e austeridade, na contínua racionalização de despesas, e aplicação dos recursos em Políticas Públicas que trazem verdadeiro resultado social para a nossa população”, finalizou Leitoa, desmontando, mais uma vez, o falacioso discurso da oposição.

(Assessoria)

Timon inicia venda de ingressos para jogo do acesso na Série B contra o Cori-Sabbá; veja preços

Vendas começam nesta quinta-feira em três postos, além da bilheteira do estádio Lindolfo Monteiro no dia da partida
O Timon abriu nesta quinta-feira a venda de ingressos para o duelo decisivo contra o Cori-Sabbá, na próxima segunda-feira, que vale vaga na final da Série B do Campeonato Piauiense e a participação na elite estadual no ano de 2020. Ao todo, quatro postos de venda foram credenciados para o torcedor garantir lugar no estádio Lindolfo Monteiro, palco da partida em Teresina. Os valores cobrados são R$ 10 para arquibancada e R$ 20 para o setor das cadeiras, com direito à meia-entrada em ambos os setores.

PREÇOS DOS INGRESSOS

- Arquibancada: R$ 10

- Cadeira: R$ 20

POSTOS DE VENDA CREDENCIADOS

Em Timon

- Posto Piauí (Avenida Piauí)
- Farmácia Horizonte (no Centro)

Em Teresina

- Sede da Federação de Futebol do Piauí (no Centro)
- Bilheteria do estádio Lindolfo Monteiro (no dia da partida, a partir das 16h)

Timon e Cori-Sabbá decidem a última vaga para a final da Série B do Campeonato Piauiense e o acesso à Série A do estadual em 2020. A Águia Soberana joga por um empate para avançar por ter a melhor campanha da primeira fase da Segundona. O Alvinegro de Floriano precisa de vitória fora de casa após empatar em 2 a 2 o jogo de ida. O duelo acontece na segunda-feira, às 20h, no estádio Lindolfo Monteiro, em Teresina. Todas as emoções da partida serão transmitidas em tempo real pelo GloboEsporte.com/piaui.

(Fonte: GloboEsporte.com/piaui)

Matões: Ação do MP requer construção de novo cemitério público

Em Ação Civil Pública com pedido de liminar, ajuizada no dia 10 de outubro, o Ministério Público do Maranhão requer que o Município de Matões seja obrigado a interditar e desativar o cemitério clandestino situado na região do Morro do Pico, bem como que adote providências para a construção de um novo cemitério municipal.

A ação pede que seja fixado o prazo de um ano para a realização da obra, com a necessária inclusão dos recursos financeiros pela administração pública no orçamento municipal.

Também foi requerido que o Município de Matões ofereça alternativas de sepultamento à população de Matões enquanto não implantado o novo cemitério público, tais como pagamento de despesas de funeral em cemitério que tenha vagas, mesmo que particular, e transporte para pelo menos 20 pessoas para acompanhar o enterro.

Segundo a promotora de justiça Patrícia Fernandes Gomes Costa Ferreira, a ação foi motivada em decorrência da superlotação do Cemitério Nossa Senhora da Conceição, único em regular funcionamento na cidade.

Uma vistoria realizada pela Promotoria constatou que, diante do problema, a população é obrigada a sepultar os familiares mortos no cemitério clandestino ou, ainda, nas imediações do cemitério municipal, além dos limites do muro do imóvel.

“Verificou-se que o Município de Matões não está cumprindo suas obrigações legais, ficando a população obrigada a utilizar cemitério clandestino ou nas imediações do atual Cemitério Nossa Senhora da Conceição, superlotado, ferindo-se além da dignidade desta, sua saúde e o meio ambiente como um todo”, comentou a promotora de justiça.

Em caso de descumprimento das medidas solicitadas, o Ministério Público solicitou a aplicação de multa no valor de R$ 10 mil por item descumprido.

MANUTENÇÃO

A Ação Civil Pública pede também que o Município de Matões seja obrigado a efetuar constante manutenção no Cemitério Nossa Senhora da Conceição, a fim de impedir que novos sepultamentos sejam realizados, bem como adote medidas quanto a extensão do muro, para que sejam abrangidos os jazigos fora da delimitação do muro. As informações são do MPMA.

Prefeituras recebem mais de R$ 700 milhões de FPM nesta sexta-feira (18)

FPM: segundo decêndio será creditado na sexta-feira (18)
Os Municípios recebem na próxima sexta-feira, 18 de outubro, mais um repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O montante a ser partilhado do segundo decêndio será de R$ 791,7 milhões, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). De acordo com a avaliação feita pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), com base em dados divulgados pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN), essa segunda transferência geralmente é a menor.

A diminuição também ocorreu no primeiro decêndio. Em valores brutos, ou seja, incluindo o Fundeb, o montante do segundo repasse será de R$ 989,7 milhões. Pela STN, o segundo decêndio de outubro de 2019, comparado com o mesmo decêndio do ano anterior, indica crescimento de 45,53% em termos nominais (valores sem considerar os efeitos da inflação). O acumulado do mês, em relação ao mesmo período do ano anterior, também indica aumento de 2,16%.

Quando o valor do repasse é deflacionado, levando em conta a inflação do período e comparado a mesma época do ano anterior, o percentual de crescimento chega a 42,07%. A soma dos dois primeiros decêndios de outubro mostra que o fundo está em queda de 0,27% dentro deste mês, em caso de comparação com o mesmo período de 2018 e levando em conta a inflação do período. Para base de cálculo do segundo decêndio, é considerado o período compreendido entre os dias 1º e 10 do mês corrente.

Municípios de pequeno porte

Do total repassado a todos os Municípios, os de coeficientes 0,6, que representam a maioria (2.459 ou 44,16% das cidades do país), devem partilhar o valor de R$ 196, 8 milhões do total. Isso representa 19,89% do que será transferido. A CNM explica que esses Municípios se diferem para cada Estado, uma vez que cada um deles tem valor da participação do Fundo. Um exemplo prático dessa distinção ocorre nos repasses dos Municípios de coeficiente 0,6 do Estado de Roraima que recebem valores diferenciados quando relacionados com os Municípios 0,6 do Rio Grande do Sul.

Acumulado e orientações

Ao levar em consideração os repasses de janeiro de 2019 até o segundo de outubro, a CNM calcula que o acumulado deste ano do FPM tem apresentado crescimento positivo de 8,79% em termos nominais (sem considerar os efeitos da inflação) em relação ao mesmo período de 2018. No caso de considerar o comportamento da inflação, a entidade aponta aumento de 4,82% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

Conforme análise da série histórica do FPM, os repasses nos cinco primeiros meses do ano representa uma entrada elevada de recursos nas contas municipais. É importante que os gestores municipais mantenham cautela em suas gestões e fiquem atentos ao gerir os recursos. A Confederação ressalta que é preciso planejamento e reestruturação dos compromissos financeiros das prefeituras para que seja possível o fechamento das contas. Acesse aqui os valores por Estado e outras informações dos repasses por coeficientes. Nelas constam também os valores brutos do repasse do FPM e os seus respectivos descontos: os 20% do Fundeb, 15% da saúde e o 1% do Pasep.

(Da Agência CNM de Notícias)

Câmara de Timon aprova leis do executivo sobre concurso público e reestruturação de planos de cargos do magistério

Na sessão plenária desta quarta-feira, 16, da Câmara Municipal de Timon, os parlamentares apreciaram e aprovaram dois projetos de autoria do Poder Executivo Municipal que tratam sobre o concurso público a ser realizado pela educação e que reestruturam e organizam o plano de cargos do magistério municipal. 

A mensagem de Lei Nº 10/2019 trata sobre a criação, no quadro permanente de pessoal do Poder Executivo Municipal, de cargos de provimento efetivo de professor da Educação Básica - Classe Inicial, da secretaria municipal de Educação. A mensagem de Lei aborda a criação de 504 cargos de professor da Educação Básica, para serem preenchidos através de concurso público, tanto das vagas imediatas, quanto do cadastro de reserva.

Já a mensagem de Lei Nº 11/2019 dispõe sobre a reestruturação e organização do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração do Magistério Público Municipal de Timon. O texto encaminhado e aprovado pelo plenário da Câmara de Timon afirma que o novo plano “propõe-se tornar a carreira dos profissionais de educação mais atrativa e viável, que sem dúvida, constitui um importante fator para garantir a educação como direito fundamental, universal e inalienável, compatível com a política de valorização com base no Plano Nacional de Educação (PNE)”.

Além dos projetos de Lei enviados pelo poder Executivo, os parlamentares aprovaram ainda a concessão de dois novos títulos de cidadania timonenses. O primeiro, de proposição do vereador Uilma Resende, para o engenheiro eletricista Edmar Morais Schalcher, mais conhecido como Senhor Levi, pai do vereador Vavá. O segundo título de cidadania timonense foi proposto pelo vereador Anderson Pêgo, ao senhor João Francisco Jones Fortes Braga, superintendente da CODEVASF no Estado do Maranhão.

O vereador Vavá apresentou duas indicações direcionadas à secretaria municipal de Obras e Infraestrutura; a primeira alertando para a necessidade da pavimentação asfáltica da rua 09, entre as ruas 105 e 106, do bairro São Francisco; a segunda sobre a necessidade da troca da base da tampa do bueiro da rua 100, travessa 24, bairro Bela Vista, próximo ao Bar Garcia, por uma base de ferro em forma de grade. 

Já a vereadora professora Socorro Waquim apresentou dois pedidos de providências direcionados ao Departamento Municipal de Trânsito – DMTRANS. O primeiro para que seja feita a fiscalização no encontro das ruas Benedito Leite, Odilo Costa e Aquilis Lisboa, pois segundo informou, mesmo com o semáforo, os motoristas não estão respeitando a sinalização. O segundo solicita que seja feita uma faixa de pedestres na rua José Simões Pedreiras, na altura da rua Odilo Costa, tendo em vista que há bastante movimentação de estudantes, pais, idosos e o fluxo de veículos é bastante intenso.

(Ascom/CMT)

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Henrique Júnior defende concurso da educação mas ressalta que ele deveria ter sido realizado anos atrás

O vereador Henrique Júnior (PMN), líder da oposição na Câmara Municipal de Timon, usou a tribuna na sessão desta quarta-feira, 16, para lembrar sua luta pela realização de concurso público para a Educação do município, que acabou de ser anunciado pelo prefeito Luciano Leitoa. Porém o parlamentar destaca que este concurso deveria ter sido realizado há muito tempo, evitando que o Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos Municipais de Timon (IPMT), chegasse “à beira do colapso”.

“Eu volto a dizer, é uma luta grande e incansável que eu venho defendendo aqui nesta Casa desde 2017, cobrando concurso público, pela sua importância, pela forma justa de ingressar no serviço público. E quando se faz concurso púbico, se organiza e se equilibra a administração. Os professores que hoje são concursados da prefeitura de Timon, contribuem com o regime próprio do IPMT. E o IPMT de Timon está à beira do colapso, pois arrecada R$ 1,2 milhão e está pagando uma folha de R$ 1,9 milhão. Essa diferença está sendo coberta pelo fundo previdenciário e isso deixa uma instituição na beira do colapso, mas não é por falta de aviso, porque eu venho falando isso desde o início. Se o prefeito Luciano Leitoa tivesse tomado essa medida, de fazer o concurso público no início do seu governo, teria sido tudo diferente”.

O parlamentar explicou que ao longo dos anos, por fazer contratações de professores somente por meio de processos seletivos, a prefeitura de Timon, o prefeito Luciano Leitoa, desequilibrou a saúde financeira do IPMT, pois os professores celetistas não contribuem com o IPMT, mas com o INSS. “Os celetistas não contribuem com o regime próprio do município, eles contribuem com o INSS. Hoje o prefeito Luciano Leitoa faz este concurso buscando exatamente equilibrar as contas do IPMT, ele não quer agradar os professores, ele não quer agradar aqueles que vão fazer o concurso. Pra ele foi cômodo poder fazer seletivo durante esse tempo todo. Seletivo sempre feito cheio de vícios”.

Henrique Júnior também defendeu que as provas do concurso, que será realizado pela Comissão de Concursos da Universidade Federal do Piauí, sejam aplicadas nas escolas do município de Timon. “O governo aqui sempre fala muito bem das escolas, que tem ar condicionado, que tem estrutura, mas na hora de fazer o concurso leva todos esses possíveis candidatos para fazer a prova lá em Teresina. Vocês já imaginaram 10, 15 mil pessoas espalhadas nas escolas de Timon, quanto não iria movimentar a economia, quantos ambulantes não iriam vender, quantas corridas os mototaxistas não iriam fazer nesse dia, quantos restaurantes não iriam vender mais almoço e isso é gerar economia”, ressaltou.

Além disso, o vereador destacou ainda que fica feliz pela realização do concurso, apesar de o prefeito Luciano Leitoa ter aguardado o último ano de seu segundo mandato para a sua realização. “Eu fico feliz de ter desde o início lutado por este concurso público, que agora foi atendido pelo prefeito, mas volto a dizer, o prefeito não quer aqui agradar aos que vão fazer este concurso público, o prefeito quer salvar o IPMT. E de certa forma até inteligente, só que muito atrasado, porque já poderia ter feito isso lá atrás, não era para deixar o IPMT chegar a ficar nessa situação em que se encontra atualmente”.

“Não cabe outra expressão ao prefeito de Timon a não ser a de caloteiro”, afirma vereador Drº Tuá

O vereador Drº Tuá, decano da Câmara Municipal de Timon, fez um duro discurso hoje, 16, na Tribuna da Casa quanto ao fato do prefeito de Timon, Luciano Leitoa, não honrar com os pagamentos dos aluguéis de caçambas há pelo menos nove meses. O parlamentar citou ainda o débito da prefeitura com o médico Drº Francisco, que realizou um mutirão para a realização de cirurgias de catarata, há quatro anos, e até hoje ainda não foi pago.

“Eu faço um acordo com a base do governo, com o governo, no dia que o prefeito pagar os nove meses atrasados das caçambas, eu venho falar aqui na tribuna. Porque enquanto estiver devendo nove meses dos caçambeiros, é caloteiro. Não tem jeito”, declarou. 

Drº Tuá citou ainda o não pagamento de um mutirão de cirurgias de catarata realizado há quatro anos, mas que o médico responsável, que trouxe todo o seu material, nunca recebeu pelo serviço prestado.

“Nós temos um médico que trouxe todo o material dele para fazer um mutirão das cataratas em Timon. Há quatro anos devem esse médico, Drº Francisco. Na hora que me trouxerem aqui um comprovante de que pagaram o Drº Francisco, aí eu deixo de chamar de caloteiro. Porque eu tenho a representação popular para endossar o que o povo está dizendo. Porque não pagam o médico? O que foi que houve com esse dinheiro que era destinado ao mutirão das cataratas e não pagaram o médico? É difícil responder”.