Anuncie aqui

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Vereadora critica mudança da Delegacia da Mulher para complexo junto com Delegacia Central, de Entorpecentes e de Homicídios em Timon

Na última semana a vereadora de Timon Cláudia Regina (PMB), usou a tribuna da Câmara Municipal para alertar para o “absurdo” que a Secretaria de Segurança Pública estaria cometendo ao reunir no mesmo espaço físico a delegacia da Mulher, juntamente com a Central de Flagrantes, a Delegacia de Entorpecentes e a Delegacia de Homicídios. A vereadora informou ainda que deverá realizar uma audiência pública para discutir esse assunto junto com a sociedade.

“Isso está em um projeto vindo de São Luís para que estas delegacias funcionem naquele prédio da Sefaz, no posto fiscal, mas eu achava que era somente a Delegacia da Mulher que iria para lá, mas não é. Serão quatro delegacias no mesmo espaço, e a Delegacia da Mulher, que foi criada para assegurar tranquilidade às mulheres vai pra dentro de um puxadinho de mais três delegacias, isso é um problema”, informou a vereadora.

A parlamentar informou que já se reuniu com o delegado Regional de Timon, Humaitan Oliveira, que teria lhe informado que não concordava com o funcionamento da Delegacia da Mulher no mesmo espaço das outras delegacias. “Se até o delegado regional é contra pegar a delegacia da Mulher e botar dentro do mesmo espaço que vai estar a Delegacia de Entorpecente, a Central e a Delegacia de Homicídios, então esse é um sinal de que nós temos que fazer uma discussão mais ampla sobre este assunto”, ressaltou.

A mudança da Delegacia da Mulher para um espaço onde vão funcionar outras três delegacias poderia reduzir os números de denúncias feitas pelas mulheres em Timon, de acordo com a vereadora. “Vocês já pensaram quantas mulheres são vítimas de agressão ou abuso no município de Timon? E agora a dificuldade que elas tem em fazer essa denúncia, além disso será em um local onde funcionam outras delegacias, como vão ficar nossas mulheres? Este é um assunto que precisa ser discutido nesta Casa e nós vamos fazer uma audiência pública, porque ninguém vai aceitar essa contenção de despesas que o governo do Estado quer fazer no tocante de colocar a delegacia da mulher dentro de mais três delegacias”, finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário