Anuncie aqui

sexta-feira, 1 de outubro de 2021 às 12:41

Comarcas de Timon e Santa Inês realizam eventos em alusão ao Setembro Amarelo

Os fóruns das comarcas de Timon e Santa Inês realizaram na última quarta-feira, dia 29 de setembro, eventos que fizeram alusão à campanha Setembro Amarelo, que trata da prevenção ao suicídio. No fórum timonense, o destaque foi a palestra “Setembre-se: Valorização da vida e prevenção ao suicídio”, tema exposto pela psicóloga Hosanira Rios. Já em Santa Inês, foi realizada a roda de conversa em alusão ao Setembro Amarelo, prevenção ao suicídio, com a temática “Sua Vida Importa”. 

Em Timon, a palestra teve a abertura da juíza Raquel Castro Menezes e o tema foi desenvolvido pela psicóloga Hosanira, que é especialista em Tanatologia e Mestre em Psicologia. Participaram da palestra, ainda, o psicólogo Lucas Guimarães, da Comarca de Timon, que atuou no evento como mediador. A juíza Raquel Castro Menezes enfatizou sobre a sensibilidade do tema: “A idealização do evento foi com o intuito de congregar os servidores e chamar atenção para tão sensível temática, demonstrando a valorização da vida de cada um deles no ambiente de trabalho também. A palestra ministrada pela Dra. Hosanira Rios foi bastante esclarecedora, promovendo importante reflexão sobre a influência positiva que cada ser humano pode exercer sobre outras vidas”.

Na Comarca de Santa Inês, a realização da Roda de Conversa “Sua Vida Importa” deu o tom do engajamento do fórum na campanha Setembro Amarelo. O evento ocorreu com a participação de servidores, magistrados, terceirizados, segurança privada e policiais militares da Reserva que prestam serviços na Comarca de Santa Inês. Conforme informações do fórum, a ação ocorreu de forma híbrida, possibilitando que alguns servidores que estão afastados, de férias, trabalho remoto ou impossibilitados de sair do seu posto, pudessem acompanhar a roda de conversa pelo sistema de videoconferência do Tribunal de Justiça.

Segundo a idealizadora do evento, a servidora Ana Maria de Oliveira Ramos Costa, analista judiciária e psicóloga, as palavras de ordem são compreensão e ação: "O Suicídio é um fenômeno complexo e, por conta disso, não podemos explicá-lo de um jeito simples, com um olhar reduzido, não existe uma única causa para que ele aconteça. Ao lidar com ideação, comportamento ou tentativas de suicídio, a compreensão e ação são caminhos possíveis. Quando um ato suicida acontece, buscar por culpados não é a melhor estratégia, por isso é muito importante também a posvenção. Ao trazer o tema para discussão o TJ contribui para divulgação e adoção de estratégias de valorização da vida e de promoção de ambientes saudáveis, de fortalecimento de vínculos familiares, no trabalho, na igreja, em grupos de amigos, de respeito ao outro, de acolhimento sem julgamento, de aprendizagens de perdão, de escuta, de fé, de construção de sentidos de existência".

A roda de conversa iniciou com a fala da juíza Luciany Cristina de Sousa Ferreira, titular da 1ª Vara e diretora do Fórum de Santa Inês. Para ela, é cada vez mais necessário falar sobre o assunto. “Ninguém está isento do sofrimento nem de adoecer emocionalmente. É preciso falar sobre saúde mental e prevenção ao suicídio sem tabus, e desenvolver um olhar empático e uma escuta de acolhida sem julgamentos”, destacou a magistrada.

SETEMBRO AMARELO

Em alusão ao dia mundial de prevenção ao suicídio, a data de 10 de setembro, o Tribunal de Justiça do Maranhão promove a campanha Setembro Amarelo “Sua Vida Importa”, que tem como objetivo chamar atenção para essa questão, bem como buscar a redução de casos e conscientizar a população sobre a prevenção e a busca de ajuda quanto à saúde mental no âmbito do Poder Judiciário do Maranhão.

O Setembro Amarelo é uma campanha que ocorre no Brasil desde 2015 e é desenvolvida durante todo o mês de setembro para conscientizar e alertar sobre o suicídio. Conforme dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2021, divulgado em julho pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o Brasil registrou, em 2020, 12.895 suicídios. A maioria dos casos de suicídio estavam relacionados a transtornos mentais, a exemplo da depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias. As informações são do TJMA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário