Anuncie aqui

sábado, 12 de fevereiro de 2022 às 10:20

Maranhão é o segundo do Nordeste que mais trouxe estudantes de volta as atividades escolares

O Maranhão teve o segundo maior índice de retomada às atividades escolares do Nordeste, com 16,06%. No total, 11.085 crianças e adolescentes que estavam fora das escolas entre 2020 e 2021, foram rematriculados em unidades escolares, em todo o estado. Os dados são resultado de um levantamento realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). No geral, o Maranhão ficou atrás apenas do Ceará, com 21%, e à frente dos estados de Pernambuco, Bahia, Piauí, Paraíba, Alagoas, Rio Grande do Norte e Sergipe, nessa ordem.

“Considerando que a evasão escolar tem um caráter político e social, é de suma importância que os gestores públicos, as escolas e professores desenvolvam um trabalho articulado com todos os segmentos sociais. Garantir que todos estejam na escola aprendendo é uma responsabilidade de todos nós, é uma ação colaborativa, onde todos devem se envolver. É necessário unir as forças para tornar cada escola do Território Maranhense um espaço interessante, atrativo e acolhedor, que estimule a permanência do estudante, no contexto escolar. E o Governo do Maranhão tem trabalhado intensamente para que isso aconteça. Manter crianças e adolescentes na escola é tarefa de todos nós”, destacou Felipe Camarão, secretário de estado da educação.

De acordo com a Secretária de Estado da Educação (Seduc) e o Unicef, o sucesso nesse retorno das crianças e dos adolescentes às atividades escolares está diretamente ligado ao trabalho realizado pelo Busca Ativa Escolar e ao em Regime de Colaboração entre o Governo do Estado e os municípios, resultado do empenho de prefeitos, secretários municipais, equipes educacionais e da sociedade em geral que compreenderam a importância de garantir o direito à educação.

“A Política Escola Digna e o Pacto pela Aprendizagem têm investido fortemente na formação de professores, equipe técnica municipal e estadual para possibilitar um processo educacional que garanta a efetiva aprendizagem do aluno. A execução dessas ações conta com apoio de parceiros locais, como é o caso da União dos Dirigentes Municipais de Educação, e de parceiros internacionais como é o caso do Unicef”, disse o professor João Paulo Mendes, superintendente do Regime de Colaboração.

Durante a pandemia, o Governo do Maranhão, por meio da Seduc, seguiu investindo na formação continuada das redes, ofertando formação remotamente e temas atuais e pertinentes no atual contexto, especialmente no que tange à implementação da estratégia Busca Ativa Escolar. Essas formações foram e continuam sendo realizadas com todos os municípios que participam de forma síncrona ou assíncrona. Além disso, foram realizadas ações pontuais com o intuito de trazer estudantes de volta à escola, estão: o Dia D da Busca Ativa, no qual todas as escolas realizaram atividades voltadas para o resgate do estudante, visitas em domicílio, carreatas, ligações telefônicas, campanhas no rádio, envio de SMS, TV e ida às comunidades, com o intuito de trazer de volta às escolas todos os estudantes que deixaram de frequentar as aulas.

(Fonte: Secom)

Nenhum comentário:

Postar um comentário