Anuncie aqui

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021 às 11:19

Timon mantém atendimento regular durante correição

Correição na Contadoria e Distribuição segue até o dia 26 de fevereiro

Teve início na última quinta-feira, 18, às 9h, a Correição Geral Ordinária a ser realizada nas secretarias judiciais de Distribuição e da Contadoria de Timon, ficando a solenidade de encerramento marcada para o dia 26 de fevereiro, às 18h. Durante a correição na tramitação dos processos e atos processuais, fica mantido o atendimento regular às partes e advogados.

A instalação dos trabalhos foi realizada em ato público, pela juíza Raquel Castro Teles de Menezes, diretora do fórum, que autorizou a correição na Portaria-TJ – 4612021. Todos os atos referentes à correição serão autuados e arquivados no Fórum, e em seguida, será encaminhado o relatório conclusivo para a Corregedoria Geral da Justiça.

A juíza determinou, ainda, que as pessoas interessadas em fazer reclamações ou sugestões contra atos relacionados ao objeto dessa correição para que se apresentem enquanto perdurarem os trabalhos. E que seja providenciado o registro formal de eventual reclamação feita por qualquer pessoa do povo contra os serviços judiciais. Edital anunciando a correição foi publicado e afixado no átrio do Fórum, anunciando a correição e convidando o povo em geral. 

Todos os magistrados que atuam na comarca, membros do Ministério Público, e da  Defensoria Pública, assim como os presidentes da OAB do Maranhão e do Piaúi que atuam na cidade de Timon foram convidados a acompanhar, do início  até o encerramento, todos os atos da correição.

CORREIÇÃO ORDINÁRIA

A correição ordinária realizada pelo juiz de direito da comarca, vara ou juizado tem como objetivos analisar a regularidade na tramitação dos processos judiciais; verificar o tempo de cumprimento das ordens judiciais; checar a regularidade na remessa das informações ao Conselho Nacional de Justiça e à Corregedoria Geral da Justiça; constatar as condições prediais e patrimoniais do fórum e as condições de armazenamento dos processos em curso e, ainda, observar o  cumprimento, por parte do secretário judicial, da exigência de lançar diretamente nos autos os atos ordinatórios. As informações são do TJMA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário